Crônica: Chega de indiretas! ... Ou não

21:17



Quer saber de uma coisa? Cansei desse negócio de te mandar indireta. Ta na hora de falar tudo, assim mesmo, na lata. É só… É difícil, entende? Acordar depois de sonhar contigo, e não te ver ao olhar pro lado. Preciso te contar como eu amo o som da tua voz, caramba, não tem som melhor no mundo! É melódico, calmante, enfim… Eu adoro. Preciso contar também como eu passo as madrugadas em claro pensando em você. Quero que você saiba que é teu rosto que vem na minha mente quando escuto qualquer coisa relacionada ao tal do amor, que meu coração bate mais forte quando escuto teu nome, e automaticamente te procuro ao meu redor. E é horrível não te encontrar no meio das multidões que me cercam. Eu queria te dizer o quanto você faz falta aqui do meu lado. Assim como eu queria que você soubesse como meu coração dispara toda vez que eu vejo uma foto tua, e como eu quero poder ter logo a nossa foto. Juntos. Porque é assim que eu sonho com o futuro, eu e você. Nós. Juntos. Dois filhos, um cachorro, e um apê bagunçado. É isso que eu quero pra gente. Eu toparia fazer as maiores loucuras, me arriscaria todos os dias… Se fosse por você. Com você. Faria tudo, qualquer coisa. Mas é, todo mundo sabe não adianta só um amar. Tem que ser um sentimento completo, se não simplesmente não funciona. De longe. De perto. Na casa ao lado, ou no Japão. Se é amor de verdade, aguenta tudo, topa tudo, e da certo. É assim que a banda toca. Ah, ta tão difícil me expressar… É tanto sentimento! Não consigo mais simplesmente por em palavras. Eu sei, dá pra resumir em um “Eu te amo”, mas aí é que está a questão… Não quero que esse amor seja uma desses amores resumidos. Quero eu, você, juntos, debaixo do edredom numa noite de chuva, ou no parque caminhando num domingo de sol. Quero fazer tua blusa de pijama, te fazer cafuné até te ver pegar no sono, e então, te ver dormir, sendo meu. Fazer guerra de cócegas, e conversar até o sol nascer. Te fazer sorrir quando tiver mal, e correr pro teu abraço quando precisar de proteção. Te sujar de brigadeiro, e fazer bico quando você vier me dar bronca. Eu quero você, entendeu? Assim, por inteiro, sem resumo. Porque eu não te amo. Eu sinto algo maior que isso. Tem uma parte de mim que precisa de você pra existir. E isso dói. Dói porque… Eu não sei se você precisa de mim com a mesma intensidade. Não sei dizer se você também pensa em mim quando deita no travesseiro. Ou se o meu nome que vem na sua mente quando você ouve certas músicas. Ou ainda, se é comigo que você sente vontade de criar um futuro. Dói pra caramba não saber de nada disso. É que eu me sinto amando por dois, e bom, você sabe, amar assim não dá certo. Não funciona. Simplesmente não é certo. E quer saber o pior de tudo? De todas essas dores, incertezas, dúvidas, decepções, medos e suspiros de amor… O que mais me dói é ver que isso tudo que eu disse não vai passar de outra indireta, porque eu não vou ter nem a coragem de cogitar a ideia de te mandar esse texto.
 Mas, caso isso chegue até você… Saiba que eu te amo.

Posts relacionados

0 comentários