Crônica: Pensamentos de um dia de chuva

14:32

  319850_522810057742535_224718519_n_large

A cabeça ocupada com  o som da música no volume máximo e o barulho da chuva batendo na janela. Depois de dias num calor infernal, um dia de chuva em meio ao verão mais quente que eu já havia vivido. É  incrível como tudo muda junto com o clima, como somos influenciados por isso. Basta o céu escurecer e a água começar a cair que começamos a ficar mais melancólicos. Ai coloca uma música mais deprimente e bate aquela tristeza inexplicável e a vontade de ficar deitada na cama, ouvindo a tal música, e não sair de lá nunca mais. Mas é só o sol brilhar lá fora e você já cria mais disposição. Quer sair, ficar ao ar livre, curtir com os amigos.

Ouvi dizer que as pessoas lá de fora dos trópicos não sabem como a gente vive sem essas mudanças bruscas de clima que eles vivem. Aqui é sol 365 dias por ano! Algumas épocas são marcadas por chuvas sim, mas o calor intenso parece que nunca vai embora na maior parte do país. Já lá na Europa, por exemplo, eles tem cada estação bem definida. 

É verão na Europa, as pessoas ficam mais alegres, usam menos roupas, vão pra água se livrar do calor - que aposto que não é nada comparado o que sentimos no nosso verão - e passam mais tempo fora. Acho que o mesmo se aplica a primavera, quanto tudo parece estar mais verde e mais bonito. Mas ai chega o outono e o frio começa a bater nas portas das pessoas. Essa é minha estação favorita já que gosto muito de frio e acho lindo tudo laranja e as folhas caindo. E isso já trás um pouco aquele ar de tristeza. Quando começa o inverno já esta tudo muito frio, os dias estão bem mais curtos, logo cedo já esta tudo um breu e as pessoas começam  ficar infelizes, desesperançosas. Mas tem o natal. E no meio de tanta escuridão e frieza nasce a luz nas pessoas, a ansiedade pras festas de fim de ano, a alegria de ir com a família comprar presentes pra quelas pessoas especiais, se reunir com essas pessoas. Tudo isso se torna combustível pra vela que ilumina e aquece o coração dessas pessoas. E nós não sentimos nada disso.

Fico impressionada como o externo influencia o nosso interno, como o clima e até o quarto desarrumado pode ser decisivo no nosso humor. E o nosso humor pode ser decisivo no ambiente.

Posts relacionados

0 comentários