Crônica: Pensar

21:07


Esse é o problema em ficar desocupada: pensar. É simples e básico, quando não se está fazendo nada, a mente vaga pra longe de modo inevitável. Vaga para o passado. Para as lembranças. Para o que já foi e nunca voltará a ser. 

"Tava aqui lembrando…", "será que ele lembra disso?", são os pensamentos que me ocorrem em meio a devaneios solitários. Solitários porque você não está aqui para se lembrar comigo. Eu sei que essas perguntas serão eternamente sem respostas (porque eu jamais vou ter coragem de fazê-las a você), mas, será mesmo que você se lembra? 

Se lembra das vezes em que chegou mais tarde na sua casa por ter me levado até a porta da minha? Você pegava o ônibus comigo e ficava embaixo do bloco até eu confirmar que estava dentro de casa. Eu achava fofo, e você ficava vermelho quando eu dizia isso. Eu amava quando você beijava cada um dos meus dedos, e mordia o dorso da minha mão. Lembra de fazer isso? Me tirava sorrisos fácil. Será que se lembra quando disse que a gente tinha uma música? Ela estava tocando no seu celular, e você disse "essa é a nossa música". Quando eu perguntei o motivo, você disse "foi a primeira música que eu realmente gostei de verdade, no todo, letra, melodia, tempo, tom… assim com você foi a primeira", mas disse como segurança e sem hesitação, deixando claro que estava falando sério. E me deixando sem ter como responder a isso. 

Será que lembra sobre às vezes que eu dizia pra minha mãe que o ônibus tinha atrasado, ou que eu tinha perdido a parada, quando na verdade tínhamos descido na parada certa, no horário certo, juntos? Assim, só pra ficar mais alguns minutinhos. Eu nunca fui de mentir pra ela, nem de desobedecê-la ou tentar enganá-la. Mas por você eu fazia, e não me sentia culpada. Desconfio que ela sabia, mas na época não aceitava isso. Era nosso segredo. Nós éramos um segredo. Um segredo que todos sabiam porque estava escrito no nosso olhar. 

Será, que quando você me abraçou depois de tanto tempo… Será que você lembrou? Será que algo que aconteceu passou pela sua cabeça? Fico me perguntando se… Oras. Vê o que eu estava falando sobre o problema de estar desocupada?

Bárbara Andrade


Posts relacionados

0 comentários