Crônica: Forget what forgot you

22:25


 Esquecer… É, seria bom né? Esquecer todas as lembranças que hoje me fazem hesitar em falar com ele quando nos encontramos; que fazem o coração parar quando o vejo com a outra, falando dela como falava de mim… Quisera eu poder esquecer, mas sei que nunca será possível, então, deposito minhas esperanças no famoso “superar”, apesar de também já estar quase desistindo. Eu sei, parece bem complicado, mas acho que pra começar a superar, teria primeiro de aceitar o fim, o que já me parece uma missão bem impossível. E a sinceridade vai incomodar até a mim, mas a verdade é que “superar” vai doer, e vai doer pra sempre… Mas é o que se deve fazer, afinal, sabemos que esquecer é algo que nunca vai acontecer.  Olhar pra você e estar perto são uma das coisas que mais desejo, mas quando isso  acontece eu não sei o que fazer. Já faz tanto tempo né? Mas olha só, ainda estou aqui, no fundo do poço! Sempre achei que passasse, mas já vi que não, esquecer, eu  já desisti faz tempo, mas superar… É… Ainda estou na luta. Mas a duvida continua, e se eu não conseguir superar? Como é que fica? Até porque você não vem ajudar, afinal, você não liga. Eu só faço parte do seu passado, enquanto eu ainda estou no meu, às vezes, admiro você superar e esquecer tão rápido, mas será que isso é possível? Será que é possível esquecer tão rápido assim? Talvez não, talvez você tenha conseguido superar tão rápido porque não foi verdadeiro pra você, talvez fosse mais uma pra você esquecer em um mês, mas e eu? Será que não é covardia sua fazer isso? Será que não é covardia sua deixar, ou não impedir que isso aconteça? Bom, eu não sei, e acho melhor não saber, pois descobrir pode ser pior! mas acho que o fundo do poço, é o melhor lugar para pegar impulso e para sair, por mais difícil que pareça.  
 Bárbara Andrade em parceria com Luana Kalout.

Posts relacionados

0 comentários