A Gaveta

22:48


Arrumando minhas coisas no escritório eu só penso nele. Como tudo acabou drasticamente e eu não tive como dizer o quanto eu o amava, e ainda amo. Não posso dizer o porquê acabou, já que nem eu sei ao certo. Penso que foi porque tomamos caminhos diferentes na vida. Eu foquei no trabalho ao invés de aproveitar certos momentos com ele, minha vida se voltou a isso, nos almoços com ele eu preferia atrapalhar nossas conversas sobre assuntos banais e divertidos para falar de como o meu trabalho era tediante. Talvez a culpa tenha sido totalmente minha, mas a vida é isso.

"Você só dá completo valor a algo quando a perde". Por que tem que ser assim? Por que não podemos simplesmente notar a importância que aquilo ou aquela pessoa vai ter em nossas vidas logo que as vimos? Por que temos que quebrara a cara para notar coisas tão simples, mas tão importantes?

Foi aí que eu ouvi um barulho. Bam! Estava tão perdida em meus pensamentos que o susto quase me provocou um tombo da cadeira. Fui olhar o que era. Entrei em meu escritório antigo, que agora estava abandonado, quase tão abandonado quanto os meus sonhos estavam agora . Havia uma gaveta caída no chão de mármore frio, coisas espalhadas pelo chão. De cara logo reconheci o que era. Minha gaveta pessoal, a única coisa que eu reservava no meu trabalho para me divertir um pouco.

Lá haviam fotos, palavras e esperanças que um dia eu tive, agora está tudo resumido em uma gaveta caída no chão. Todos os meus sonhos, esperanças e uma vida passada. E tudo apenas jogado no chão dentro de uma gaveta velha.

Que estranho, uma gaveta virou uma metáfora de toda a minha vida, apenas abandono do que eu mais queria por trabalho, eu apenas acumulei até que tudo caiu, sem um rumo certo cada um foi para um lado, para o melhor de um dos lados e pior pra mim... But... My choice...

Posts relacionados

0 comentários