Crônica: Aquele vestido branco

16:25


 Alí estava eu, vestida naquele vestido branco que há anos sonhava estar com ele, há meses que iria usa-lo, e um mês que ele estava pronto. Tudo que sonhei com ele estava à uma escada, um corredor, pessoas me olhando, alguns votos e um "Aceita?" para se tornar real,. Esperar 5 anos não foi demais, não pra mim, ele teve suas incertezas, mas eu sempre estava lá, firme. Até agora. Agora minhas pernas estão tremendo, minhas mãos estão suando e eu me lembrava da promessa que fiz a mim mesma quando menina quando descobri que o casamento de meus pais estava ruindo aos poucos: "Eu irei encontrar a pessoa que eu mais ame no mundo, e, quando tiver absoluta certeza que é só essa pessoa que eu quero e nunca irei me separar. Eu vou me casar com ela.". Bom, agora cá estou eu, me perguntando se ele, que está me esperando naquele altar há uma hora pacientemente, como me esperou esses 5 anos, é a pessoa pra mim. Houve uma batida na porta:

- Querida? - Era a minha mãe.

-Sim mãe? - Eu falei, minha voz um pouco rouca das lágrimas que havia derramado agora pouco, de alegria, antes das incertezas.

- Você está bem? Já deveria estar casada a uma hora dessas - Falou com o tom amável que ela sabia ter, as vezes.

- Só um pouco nervosa. A noiva sempre se atrasa não é? - Falei tentando amenizar a situação crítica que estava na minha cabeça. 

- Tudo bem, mas não se atrase muito mais, ele já está impaciente lá embaixo - Falou minha mãe saindo.

Ele, tudo que eu sempre sonhei, ele tem sido um ótimo namorado/noivo todos esses anos, e, até 30 minutos atrás tinha certeza que ele seria o marido perfeito e era minha alma gêmea. Mas agora coisas rondam minha cabeça e eu não sei mais de nada. E se acabarmos que nem meus pais? Infelizes e presos a um casamento que nem vai nem vem por medo. Outra batida na porta:

- Lu? - Agora o meu pai.

- Sim? 

- Não que eu esteja reclamando, mas você não quer mais se casar? - Meu pai nunca foi muito a favor de eu me casar aos 22 anos, ele esperava que eu começasse a namorar agora.

- Sim pai, tenho total certeza disso - Ou quase.

- Não quer que eu entre para nos conversarmos?- Falou, mais incerto que eu com relação ao casamento. 

- Não pai, não pode me ver antes do casamento. 

- Ok - Ele riu e saiu

Meu pai sempre teve um humor ótimo, e tanto na aparência quanto no humor eu era parecida com ele. Por isso tenho tanto medo. 

Eu olhei para o quarto, meu futuro quarto, ele fez questão de nos casarmos na nossa casa - havíamos comprado e reformado há um mês, nós mesmos reformamos, como eu pedi, como eu sonhei. Ele queria que nosso futuro começasse onde passaríamos todo ele ( meu noivo sabe ser romântico). 

- Love? - Agora a voz, aquela voz, que sempre me confortou. Ele.

- Oi, meu amor- Respondi, sorrindo inconscientemente, sempre fazia isso perto dele.

- Você tem certeza sobre o casamento? - A voz dele estava abalada, e eu odiava quando ficava assim.
- Tenho sim - Minha voz me entregando de imediato.

- Lulu, não minta pra mim, love, eu te conheço, mais do que você pensa, a gente pode adiar se quiser.
- Amor, desculpa, mas eu também te conheço, sei que você quer esse casamento, sonhamos com isso não é? 

- Sim, mas se não tiver mais certeza eu ainda vou te amar.

- Eu sei, só não quero que acabe mau, como meus pais.

- My Love, por que eu não pensei que essa cabeça geniosa ia passar algo assim hoje?- Ele riu - Eu vou passar algo pela porta, só pegue e olhe, ok?

- Ok. - Então algo vermelho passou e eu vi.

- Você guardou?

- Claro, disse que ia ter pra sempre, até parar de te amar não foi?

- Sim, mas faz dois anos que não te vejo mais com ela.

- Só porque não estou usando não significa que eu não a leve para todos os lugares que vou. - Ele riu.

- Desculpa, senhor. - Eu ri

- Ainda incerta? Porque se estiver...

- Eu tenho certeza de você, o resto eu posso levar, vá pro altar, me dê cinco minutos e serei sua para sempre.

- Tudo bem. Eu te amo.

- Eu também te amo.

  Então eu esperei ele sair, coloquei mais batom e abri a porta. Minha mãe e meu pai estavam lá.

- Meu Deus Luiza, você está linda. Não é, Chu?

- Sim, está a mulher mais linda do mundo - Só havia visto meu pai chorando três vezes, quando minha irmã passou no vestibular, quando eu passei no vestibular, e, bem, agora.

- Vamos, já deixei todos esperando tempo demais.

Então minha mãe desceu, e eu peguei nos braços do meu pai e sussurrei que o amava, ele chorou mais ainda. Minhas madrinhas Bianca e Angelica me esperavam para entrar com seus namorados, padrinhos do Caio, meu noivo, depois de contar até cinco eu desci as escadas e pude ve-lo. Meu noivo, e daqui a meia hora, meu marido.
   Para sempre.


Posts relacionados

0 comentários