10 vantagens do carnaval

12:38


O ano finalmente começa, já que boa parte dos brasileiros acham que só é hora tomar iniciativa na vida após o carnaval. Os dois meses anteriores são totalmente ignoráveis. Antes tarde do que nunca, não é?

Os garis têm o que fazer, porque as ruas ficam emporcalhadas depois das festas. Em parte porque em muitos lugares há mesmo falta de lixeiras, mas também tem todas aquelas pessoas que acham muito difícil procurar por uma ou segurar o lixo até chegar em casa. Para completar vem aquela famosa desculpa para sujar as ruas "é para dar trabalho para os garis" que é respondida com outra frase famosa "então deixa eu te usar para dar trabalho para o coveiro". E como se não bastasse ainda tem aqueles bêbados educadíssimos que acham que calçada é banheiro também.

Ninguém fica sozinho se não quiser. Isso mesmo. Com a quantidade de gente desesperada para pegar alguém principalmente nesse período do ano somada ao número de bêbados nas festas é só querer (e não exigir muito) para pegar alguém. Todo tipo de pessoa, inclusive os piores. Pegar e fazer estrago. Claro que pode tudo, afinal, é carnaval né. Então a consequência pode ser o item a seguir... 
Os laboratórios de analises fazem festa com a galera indo fazer exames para saber se pegaram alguma DST. Todos com medo da AIDS. Porque mesmo que o governo faça um monte de propagandas falando para a população usar camisinha (que é distribuída de graça), muita gente faz questão de esquecer os avisos. Depois pega doença, preocupação, barriga... Mas vale a pena pela curtição, pelo menos é o que parece, porque se repete todos os anos.

Começa a contagem regressiva para a páscoa a partir da quarta-feira de cinzas. Deixando a religiosidade das pessoas a parte, são dias contados para o próximo feriado. Mal tiram a decoração de carnaval e já começam as propagandas de páscoa com toda aquela apelação comercial para a compra dos ovos de chocolate. Este ano marca também 100 dias para a Copa do Mundo, ê maravilha.  
É feriado. Sobre isso não tenho do que reclamar, nem um pouco.

O comércio nas praias comemora o movimento enquanto o consumidor chora com o aumento do preço dos produtos. Tem muito turista, muito gringo, muito calor, todo mundo acaba comprando coisa tipo água que é indispensável na quentura que faz na praia, especialmente quando tem criança junto. O jeito é pagar ou levar de casa.

A cultura está espalhada por todo lugar, não tem para onde fugir dos carros de som e das festas. Não vou falar sobre musica boa ou ruim, porque isso é muito relativo. Mas posso lembrar as letras dos hits dos carnaval que são lindas, inspiradoras e pura cultura. O grito contra o capitalismo tocou em todo lugar neste verão! "Eu não tenho carro Não tenho teto E se ficar comigo é porque gosta do meu rá rá rá rá rá rá rá Lepo Lepo" (acesse o link). Se bem que tem gente que reclama, mas vai escutar alguns artistas internacionais jurando que estão ouvindo a melhor coisa do mundo, só que nem sabe o que o cantor fala (nem sempre é coisa bonitinha, viu).

Há uma programação especial na TV: o desfile das escolas de samba (que eu sinceramente acho muito bonito, sério), os programas falando sobre temas carnavalescos, o acompanhamento das festas pelo Brasil, etc. Nem em casa dá para escapar do carnaval, é tanta dedicação que só perde para a Copa do Mundo.

A gente finalmente vê investimento público. A prefeitura promove as festas de rua, a gente vê policiamento por aí, alguma coisa funciona. Pena que no resto do ano todas as áreas que merecem atenção nesse Brasilzão são esquecidas, a menos que seja ano de eleição, claro. Aí é trabalho e dedicação a população. Mas tudo isso nós já sabemos, só nos esquecemos na hora de votar.

Posts relacionados

0 comentários