Show da Clarice Falcão

13:34

Foto de: Lívia Motta @batlivs ~instagram 

Não sei se era a emoção de estar lá, aquelas luzes deixando tudo mais fantástico, a alegria contagiante na plateia ou uma mistura de tudo isso junto, mas naquele palco Clarice Falcão tava mais para um anjo do que qualquer outra descrição. Ano passado quando eu via fotos dos shows no Tumblr eu pensava em como seria bom que se ela viesse à Natal. Assim, ninguém vem pra cá. Algumas bandas vêm e se apresentam em praias daqui, o que dificulta o acesso para mim que sou pobre/mandada-pela-mãe, e outros artistas também fazem shows (mas são aqueles que só dá gente velha/rica). Natal é um péssimo lugar pra se passar a adolescência porque é muito monótono, enfim. Nunca imaginaria que a Clarice viria. Mas veio. E foi meu primeiro show da vida. Acho que abri a sequência de outros que irei com chave de ouro.

Fomos eu, Tuane e uma amiga. Chegamos quase na hora de abrirem os portões, mas deu para entrar de boa e ainda ficamos no centro, bem perto do palco. Aguentei ficar em pé quase três horas, desde que cheguei na fila até sentar no banco do carro do meu pai depois que ele foi me pegar, aí sim eu senti a dor de tanto tempo em pé. O show estava previsto para 21h, começou de 21:15 e durou mais ou menos uma hora. Nós cantamos com ela durante quase o show inteiro, as vozes se misturavam e, cara, ela é muito fofa. Jogaram coroas de flores e deram um colar para ela no meio do show, ela usou. Era tão linda sorrindo. A plateia dançou tanto, gritou tanto, cantou tanto. Passou tão rápido. É, nada é duradouro, especialmente as partes boas da vida. Saí do Teatro Riachuelo com o rosto dolorido por ter sorrido o tempo inteiro, simplesmente porque não conseguia parar. Sinceramente espero que ela tenha gostado do show tanto quanto nós, porque ainda não encontrei ninguém que não diga que foi perfeito.




Posts relacionados

0 comentários