Crônica: Uma ou duas doses de "levanta e vai ser feliz"

18:39


Você já se sentiu absolutamente perdido? Não falo de algo como estar em uma cidade desconhecida e não saber que direção seguir. Estou falando de abrir os olhos todas as manhãs e não saber por que de continuar acordando.

O que te motiva a levantar todas as manhãs? Hoje eu acordei pensando nisso e, se quer saber, acabei não levantando. Acontece que o mundo ta meio sem expectativa. Eu to meio sem expectativa. Sem ter pra onde correr, sem ter como fugir, ou decidir para qual lado seguir. A vida é complicada, sabe? Acho que se tivesse sexo, seria uma mulher. Talvez por isso seja uma palavra feminina. Hora de um jeito, hora de outro.

O destino às vezes joga uma maré de sorte tão grande na gente, que nos esquecemos de como lidar com o azar. É aí que a vida te pega de jeito, te vira do avesso e te sacode até ficar meio grogue. Aí é que você tem que tomar a ''grande decisão'': levantar e correr atrás da tua maré de sorte ou sentar em uma calçada qualquer e se deixar levar pelo momento, pelo acontecimento, por tudo.

Deixar a vida derrubar ou assumir o controle? Tudo depende de você, se você tiver coragem para reunir força o suficiente para isso. Não é fácil, cara, mas vai lá, tenta. Se errar, tenta de novo. A vida é longa pra isso. Pra tentar, uma, duas, noventa vezes. Mas não para. Porque quando você parar, tudo acaba. As expectativas, os sonhos, os malditos motivos para levantar da cama.

Olhe ao seu redor, tu não ta sozinho nesse mundo. Tem gente que precisa de você, então, levanta a cabeça e vai viver. Mas é viver de verdade, não só sobreviver! Você quer chegar aos 40 tendo uma vidinha mais ou menos, com um empreguinho meios ou menos, por um salário maios ou menos, pra comprar coisas que você não precisa? Bom, nada de errado nisso. Nada de errado nisso, se te fizer feliz! Caso contrário, amigo, rala.

Se tu não tá feliz, chega aqui, deita comigo nessa cama e pensa até achar um motivo pra levantar e seguir em frente. Não achou? Ah, cara, então levanta e vamos até aquele bar da esquina tomar uma ou duas doses de esquecimento e recomeço. 



Posts relacionados

0 comentários