Pequenas confissões: Ah, minha menina...

14:17


   Eu chego em casa ensopado, começou a chover assim que sai da casa dela, as palavras dela ecoaram na minha mente o caminho da casa dela até a minha casa, "Eu sou apaixonada por você desde aquela briga com o Rodrigo, 2 meses atrás, mas tive medo. Medo de perder sua amizade. Eu não consegui mais seguir com ele... Sei... Sei que nunca vai rolar entre nos. Mas essa é a verdade, Lucas.". Como diabos ela pode pensar isso? Meu mundo gira em torno dessa garota desde sempre, se ela pedisse qualquer coisa, eu faria sorrindo. Quando ela começou a namorar com aquele imbecil do Rodrigo meu mundo quase caiu, mas eu decidi seguir em frente, afinal, não tinha direito algum sobre ela e se ser apenas amigo era o que me restara, era o que iria ser. "Eu sou apaixonada por você desde aquela briga com o Rodrigo", eu me lembro desse dia... Ela chegou aqui na minha casa chorando...
" -Lu...
   -Soh? O que houve? Você estava chorando? - O desespero apertou em meu coração.
   -O Rodrigo... - Ah, tinha que ser aquele imbecil.
   -O que ele fez agora?
   -A gente brigou feio, foi terrível Lu, eu to precisando muito de um amigo agora -  Amigo, palavra imbecil, como tenho ódio dessa palavra, podia ser eu no lugar desse idiota que a faz chorar.
   -Claro, eu estou aqui sempre pra você, lembra?
   -Sim, eu lembro, a gente se distanciou desde que você começou a sair com aquela piranha - Ela fala da Carol de um jeito amargo, como se tivesse ódio, uma pequena esperança começa a nascer no meu peito. Ela estaria com ciumes? Mas eu mato esse esperança em seguida. Para de viagem Lucas, ela é só sua amiga.
   -Não fala assim dela, ela tem me feito bem... - Desde que você me abandonou por um idiota que não te merece.
   -Eu sei... Desculpa - Ela fala e abaixa a cabeça. Olha o que você fez imbecil. Me chingo mentalmente e a abraço.
   -Desculpa Soh, sabe que pode contar comigo? Eu vou estar sempre aqui - Digo e olho no fundo dos olhos dela, ela me olha profundamente e nossas faces se aproximam, mais e mais...
   -Er... Tudo bem Lu, obrigada. E desculpa. Eu te ligo mais tarde - Ela se afasta e sai de casa, levando com ela todas as minhas esperanças e uma parte de meu coração."
   -Filho? - Minha mãe me tira dos meus devaneios.
   -Oi mãe? 
   -Você ta bem? Não te vi chegar.
   -To sim, cheguei agora mesmo.
   -Como esta a Sophia? - Minha mãe simplesmente adora a Soh, elas se dão muito bem.
   -Ta bem...
   -E por que você está assim?
   -Assim como?
   -Cabisbaixo 
   -Eu to bem dona Suzana, só um pouco pensativo.
   -Pensativo você é por natureza. Você está triste, vamos, conte pra sua mãe. Foi a Sophia de novo?
   -Que isso, mãe? Nada a ver
   -Nada a ver, nada. Tudo a ver. Não minta pra mim Lucas, até um cego vê que você é maluco por ela, então, fala pra sua mãe, o que houve com a Sophia?
   Sophia... Essa menina um dia me enlouquece, e agora que eu comecei a finalmente esquece-la ela vem me dizer que é apaixonada por mim. 
   -Ela disse que era apaixonada por mim também. - Minha mãe fez uma cara de surpresa e sorriu.
   -Ora menino. Então por que diabos essa cara de enterro?
   -Porque tem a Carol, mãe - Minha mãe faz cara feia e eu rio. Ela e a Soh compartilham o mesmo desgosto por ela.
   -Filho, o que tua mãe vai dizer é piegas, mas é verdade. Siga o seu coração, eu sei que a Carol te fez bem nesses meses, sei que sem ela você estaria mais obcecado pela Sophia e ela estando com outro, mas pensa bem, seu coração é da Sophia desde sempre meu amor, você só falta dar pulos e soltar fogos quando a vê. A gente não deve desperdiçar esses sentimentos.
   -Tudo bem mãe, obrigada, eu posso ficar sozinho um pouco pra pensar agora?
   -Claro, qualquer coisa me chama. - Ela me da um beijo, sai do quarto e fecha a porta.
   Aqui estou eu, com a cabeça mais confusa e sem saber o que fazer. Ah, se a Carol não tivesse aparecido na minha vida, tornaria tudo mais fácil. E pensar em eu já fui louco por ela e ela nem aí pra mim. Quem entende as mulheres? Mas a Soh não é uma mulher ainda. Ela e delicada - tem corpo de mulher, claro, - mas sua inocência deixa claro que ela parece mais uma criança, uma menina, do tipo que corre quando alguém ameaça que vai pega-la, que tem uma risada exagerada, mas linda; do tipo que os olhos brilham quando veem um balaço, que odeia ver quem ela ama triste. Uma criança amorosa e carinhosa, acima de tudo inteligente. Ah, minha menina... Como eu queria ter você aqui agora.


Posts relacionados

0 comentários