Crônica: A virose do milênio

15:48


Coração palpitando, perda da noção do tempo e espaço, loucura passageira, ciúmes incontroláveis. Esses são alguns dos sintomas da doença dos milênios mais recentes: A paixão. É uma virose que se pega pelo sistema nervoso através dos cincos sentidos e um sexto um tanto quanto meio irritante. Ela chega aos seus membros e se espalha até chegar a seu coração. Quando os seus pensamentos começarem e terminarem com uma só pessoa... Sinto muito amigo. É fatal.  Você terá um ou dois meses de vida, depois você se tornará um dependente físico e sentimental de um certo alguém. Aí o vírus já fez a festa no seu coração e já mexeu com todos os seus sentimentos. O tal fulano ou sicrano dominará os seus sonhos e seus pesadelos até se tornar o seu único pensamento coerente do dia, ele também será os incoerentes. Você começará a dormir apenas quatro horas por dia porque passa horas da noite sonhando acordada com ele ou falando com ele.

Ao decorrer da doença você notará (ou não) suas mãos suando um pouco mais na presença desse alguém, você começará a sonhar acordado e todo e qualquer tipo de concentração estará terminantemente suspenso para o seu cérebro. Suas notas irão cair, lágrimas irão cair e sua auto estima já estará só subsolo quando você notar. E se coração, pobre coração, o doutor vai dar o veredicto, não terá mais jeito, infelizmente ele vai pro saco. Ele não mais lhe pertencente, sinto muito. Ele provavelmente foi entregue de presente para alguém que nem notou o embrulho do lado da porta ainda. Ele provavelmente estará lá por muito tempo, tempo demais pra você viver sem o seu amiguinho palpitante. Alguns médicos confundirão seus sintomas futuros com uma doença que fabrica seres iguais aos “Walkers” de The Walking Dead, sua pele ficará mais pálida, as olheiras começarão a aparecer e a comida será uma pagina riscada da sua história. Mas não se engane, ainda será paixonite aguda.

A cura é dolorosa, mas necessária. Ela começa com poucas doses de esquecimento e apertos nos botões de apagar no seu celular e naquele coração que restou pedaços, que foram entregues de volta ao remetente, já que o destinatário apenas ignorou o que estava ali. Ai você tem que começar a olhar o mundo a sua volta e ver que nem tudo é apenas aquela maldita doença. Quando esses dois passos forem tomados você está pronto para o terceiro. Saia. Saia com seus amigos, grite os mais alto que puder, seja feliz. Quando você concluir esse terceiro passo, parabéns. Você estará curado.

Mas como sempre, uma boa noticia vem sempre acompanhado de uma má. Como todas as gripes, desse vírus de paixão existem mais de mil, com sentimentos e sintomas diferentes. Alguns serão mais fáceis de curar, outros nem tanto. Creio que um deles você não vai querer se curar, e por esse, vai valer a pena ter adoecido. 


Posts relacionados

0 comentários