É apenas mais um adeus

14:22


Ei Lucas,

Aqui estou eu no maldito aeroporto. Sim, já irei pegar um voo hoje para Paris. Eu adiantei minha passagem para quatro dias antes, porque quero conhecer a cidade antes de começar a estudar. Eu quero me focar nos estudos pra ver se te esqueço, quem sabe eu me perca com o tempo também. E, por isso, eu resolvi te entregar essa carta. Talvez essa Sophia que lhe escreve não seja mais a mesma daqui a seis meses.

Antes que eu te confunda mais ainda, eu vou explicar tudo (quando você está confuso você faz uma careta e aparece uma veia no meio da sua testa, eu imaginava como seria beijar ela). Eu te escrevo todos os dias, mais como uma oração. Em minhas preces eu te descrevo o meu dia, minha vida e meus sentimentos. É nisso que se resume o meu diário, minha rotina é isso. Você É o meu diário. Você, na verdade, é a quê se resume todos os meus pensamentos. Como eu acordo ou respiro depende somente de você. Bem, mas essa carta, dessa vez, não vai ficar só pra mim e meus pensamentos. Eu vou pedir pra minha mãe te entregar, assim que eu entrar no avião. Então enquanto você lê isso eu estarei longe. 

Desculpe se tudo isso parecer um tanto quanto confuso, é sobre mim que estamos falando afinal, não é mesmo? Acho que eu cansei de esconder o quê eu sinto e o quê eu penso sobre "nós". Eu queria gritar. Como não posso, te escrevo essa carta de adeus, com as mais puras das intenções. Você merecia uma despedida mais convencional, mas eu não iria conseguir falar tudo, eu desabaria em lágrimas. Então creio que essa carta vai me dar a oportunidade de me despedir. 

Lucas, eu te amo. É o mais puros dos amores, daqueles que só lemos em livros, vemos em filmes e sentimos em músicas. Isso nunca. NUNCA vai mudar. Eu posso me apaixonar novamente, esquecer dos meus pensamentos, posso começar uma nova relação, mas eu sei, lá no fundo do meu coração, que tudo que eu sinto nunca vai passar. Sempre vai ser você. Por isso eu preciso “fugir”, eu tenho que me esquivar das lembranças que vêm me perturbar dia, tarde e noite. Eu tenho que me libertar de você, como você já se libertou de mim há muito tempo.

Eu sinto muito se atrapalhei em alguma coisa sua relação com a Carol. Sinto muito se por várias vezes eu achei que tinha algum direito sobre você e se por algumas vezes os ciúmes me tomou por dentro e por fora. Eu me deixei levar por uma dor aguda, que dói profundamente em meu coração, corrói meus órgãos internos e me faz agir, por muitas vezes, de modos que eu não me orgulho.

Meu amor, eu sempre quis te abraçar o mais forte que eu pudesse, mas agora já passou o nosso tempo. Desculpas apenas vão desgastar mais nossa relação, ou o que restou dela, então me deixe ir, me deixe voar. Se for pra ser, eu voltarei. Isso é uma promessa, a única que posso e devo fazer. Promessas só irão nos desgastar mais, também.

É apenas mais um adeus. Pessoas dizem adeus umas pras outras todos os dias, nenhuma delas morre, nós também não iremos. Pensarei em você todos os dias. Tente pensar em mim alguma vez, quando você tiver um tempo sobrando. Juro que nos veremos algum dia. Até algum dia, meu menino emburrado. 
Eu queria gritar.
Eu te amo.

De sua menina preferida,
Sophia.



Posts relacionados

0 comentários