Pequenas Confissões: Há tanto a dizer

14:33


Ei, sou eu de novo, acho que é a décima vez que eu te ligo só essa semana, mas são os tipos de ligações necessárias. Sinto que se eu não te ligasse esses dias eu explodiria. Mas eu te conheço, você deixa ter 50 recados no correio de voz e depois apaga tudo sem nem escutar. Eu só te ligo nos horários mais importunos, os horários que eu sei que você não vai atender. Você não costuma atender no trabalho ou comendo, Você é centrado na hora de fazer algo, eu sei disso.

Eu só te liguei pra dizer que eu sonhei com você. Foi um sonho estranho. Você sorria muito, eu ria demais, isso não soa típico de nós dois, nós nos conhecemos bem demais para proferir palavras inúteis e desculpas esfarrapadas. Nós nos conhecemos pouco pra saber o que o outro pensa, mas eu te conheço demais pra saber que você não fala até as palavras te sufocarem. Nós sabemos que a gente não se fala,a ente se entende, a gente só profere o necessário, você sabe me fazer sorrir, e, não intencionalmente, sabe melhor ainda me fazer chorar. No sonho nós estávamos bem, nenhuma briga, ou a merda da distância, nenhuma menina intrometida nas nossas vidas. Só nós, nossas risadas e nosso parque. Eu sinto falta disso, de nós dois, como um só. Sophia e Lucas contra o mundo.

Acho que você conseguiu estragar tudo, pra variar. Eu te odeio, porque você é um imbecil, você não nota quando me faz sofrer e o quanto eu não suporto te ver com alguém que não seja eu. Mas você sempre está com qualquer uma que não seja eu. Você é um babaca sem tamanho, porque você não viu o que tinha bem na sua frente, agora estou eu aqui. Ligando pra você as 3 da manhã. Tem algo mais retardado? Quase implorar seu perdão, quando eu, na verdade, não fiz absolutamente nada? Patético, Sophia, patético. Eu sou uma bagunça. Você é uma bagunça maior ainda, mas acho que é isso que eu amo em você. Sua bagunça. Eu acho que eu sinto compulsão por causas perdidas. Você é a mais perdidas de todas. Mas eu te amo. Amo mais a cada dia que passa. Você é um idiota sem noção, mas isso atrai meus olhos a você cada dia mais. Você é tipo o meu quarto, eu não o arrumo a uns 4 meses, mas eu me acho nele, sabe? Eu sei onde fica cada coisa, eu sei onde eu escondo as coisas mais valiosas e sei onde encontrar meus CD's quando estou triste. Mas quando minha mão se intromete e vem arrumar ele... Eu simplesmente não me acho mais. Eu não me vejo mais como uma parte dele.

Há muito a dizer Lucas, mas não há mais tempo, ou esperanças pra nós dois. Não há mais paixão no que fazemos. Não há mais aquele prazer em acordar todas as manhãs. Na verdade, é... Eu acho que não há mais muito o que dizer. Adeus. Eu te amo, pra sempre e sempre. Eu ainda sou sua menina, só que a menina que nunca vai te perdoar.


Posts relacionados

0 comentários