Plano B ou C

13:35


Ele ainda dormia, enquanto eu não tinha pregado os olhos nem por 10 minutos. O que estava fazendo, afinal? Aquilo nada mais era do que loucura. Soube desde o começo que não conseguiria tira-lo da minha vida, por isso decidi fazer dele um amigo. Meu melhor amigo. Acontece, Dona Luana, que amigos não dormem com amigos. Ok, talvez alguns durmam, mas não quando um gosta assumidamente do outro - e o outro gosta em segredo.

É isso: eu precisava fazer algo a respeito, já que, como a obviedade me mostrou, minha tática atual não estava funcionando. Eu não conseguia manter o JP apenas como meu amigo, e ao mesmo tempo, não conseguia afastar totalmente o garoto. Plano B, então.

Enquanto eu pensava sobre os pros e contras, fiquei olhando para ele, pensando no que eu poderia ter se não fosse do tipo dedo podre. Sabe, destrói tudo que toca. Eu nunca tinha visto o JP dormindo, normalmente eu acordo ele, ou simplesmente não presto atenção. Um baita erro, aliás. Ele é bonito, sabe? Moreno, mas nem tanto, cílios grossos e longos, olhos castanhos, quase caramelo. Ele tinha mais ou menos 1,77m. Nem alto, nem baixo. Não é raquítico, mas também não é um Schwarzenegger da vida. Cabelos pretos e tão cacheados quanto os do Anjinho da Turma da Mônica, mas isso quando ele deixa crescer o suficiente (o que ele não faz muito), então normalmente, lisos. Definitivamente sedosos, sério. Boca fina, atraente, algo meio Paul Wesley, assim como o nariz. As costas repletas de sinais, como se ele tivesse uma constelação só dele nas próprias costas. Encolhidinho na cama, mas ao mesmo tempo largado, de bruços, ele parecia extremamente adulto, e extremamente frágil. E é por isso que eu precisava fazer o que precisava fazer. Mas ao -lo assim, tão em paz, tão tranquilo e tão belo, meu coração parecia querer saltar do peito e se jogar naquela cama com ele.

O quanto eu nunca poderei ter, não é? Impressionante. Ok, talvez pense que seria mais fácil que simplesmente eu tentasse mudar, mas está fora de cogitação. Já tentei, ta? Talvez o próximo plano deva ser o C, não o B. Talvez o nome não faça diferença, na verdade, e o que importa seja colocar em ação o mais rápido possível. Mas só depois de um banho, porque, pelo amor do Cosmos né.

Dei uma última olhada nele, e soltando um longo suspiro, levantei e fui para o banheiro social, afundar nos 10 minutos de reflexão na minha cachoeira particular.

 O Nome dela era Luana, e ela não se permitia machuca-lo. 


Posts relacionados

2 comentários