Boas ressacas geram bons momentos para pensar

15:10


A claridade entrou pela janela do quarto. Minha cabeça dói como nunca doeu antes. Meu Deus, o que eu estava pensando? Eu nunca bebi tanto. Olhei pros lados e estava em um quarto estranho. As lembranças de ontem começaram a surgir, memórias turvas. Embaçadas. Ah, estou no quarto da Luana. Ontem foi estranho, bebi demais. Se minha mãe me visse ela me mataria. Mas ela não liga. Quem liga? Quem pensa no que a vadia da Carol acha de tudo isso? Ninguém. 

As coisas se complicaram pra mim quando meu pai morreu, eu tinha uns 10 anos. Só isso. Minha mãe pirou. A vida virou do avesso e até agora não se acertou. Eu costumava ser feliz, sabe? Tinha poucas amigas, mas todas verdadeiras. Lembro-me da Sophia naquela época. Nós éramos unha e carne, e, é claro, o Lucas. Éramos os três mosqueteiros. Tudo mudou com o maldito AVC do meu pai. Ele estava bem e do nada. Puf. Ele estava em coma no hospital. Eu tinha esperanças que tido acabasse bem, sabe? Eu ia todos os dias ao hospital. Eu ficava do lado dele, rezando, conversando com ele. Um dia ele teve uma parada cardíaca, acho que foi demais pra ele. Ele não aguentou. Foi ai que eu mudei. Eu tinha perdido o meu herói. A única pessoa que me entendia. Meu melhor amigo. Ele costumava ser meu bote salva vidas. Quando ele se foi eu me senti boiando num oceano de emoções. A deriva em minhas próprias lágrimas.

É claro. O Lucas estava lá. Com a Sophia. Eu acho que sempre fui meio apaixonada por ele. Ele era tudo que eu precisava sabe? Ele é carinhoso, fofo, estava sempre lá nos piores momentos, mas ele nunca me olhou. Eu estava perdidamente apaixonada pela ideia de ter alguém como ele só pra mim. Alguém que poderia me entender, ver como era insuportável viver com a minha mãe. Como se tornou mais insuportável quando ela casou de novo. Odeio aquele marido dela. Um pervertido que me olha com malícia. Ela não liga, ela está apaixonada demais pra ligar. Parece que eu sou o único pedaço do marido que ainda não se foi. O marido que ela quer esquecer por completo. Quando eu tinha 15 anos eu me aproximei do Lucas, a Sophia estava começando a ficar e namorar outros caras. Aquilo magoava o Lu, eu tive a chance perfeita. Eu tive o Lucas na minha mão por um instante. Mas a vida não é e nunca foi legal comigo. Então, quando eu estava começando a acreditar que podia ser feliz de novo eu perdi minha única fonte de alegria. O Lucas. Eu lembro como ele terminou comigo pra ficar com a songa monga. "Não da mais, Carol. Não é justo com você.". Justo comigo, como diabos ele o que é justo comigo. É justo eu perder a única pessoa que me fez sentir bem em um longo tempo? Não, não é justo. Nada disso é justo.

Eu também sempre tive inveja da Sophia. Ela tinha tudo que eu queria. Uma família perfeita, uma casa perfeita, um quarto perfeito. E, é claro, o melhor amigo perfeito. O melhor amigo que sempre foi apaixonado por ela e ela nem notava. Ai foi quando eu me afastei, apesar da minha fama, eu achava que ELA era a vadia escrota. Por tudo que ela fazia como o Lucas, o tratava como nada. Ele completamente apaixonado por ela, e ela, por outro lado, nem notava isso. Como? Se alguém tivesse  por mim a metade da devoção que o Lucas tem com ela, eu beijaria os pés dessa pessoa.  Seria meu herói particular. Eu abraçaria essa oportunidade jamais a deixaria ir. Jamais.

Eu nunca fui do tipo qualquer coisa pra ter o que eu quero, eu sempre fui mais na minha. Há coisas piores que eu poderia fazer que querer o carinho de alguém que eu gosto. Eu poderia estar nas ruas, dando pro primeiro cara que me aparecesse. Ou poderia ficar em casa, esperando que a vida reaja por mim, que o príncipe encantado chegue em minha porta dizendo que eu sou o amor de sua vida. Eu poderia magoar caras como eu. Jogadores. Até agora, seduzir caras não é um crime. Eu nunca tive que jogar sujo pra ganhar um jogo. Mas com o Lucas é diferente. Ele é tudo que eu preciso. É tudo que eu perdi quando meu pai morreu. E se a Sophia é a única coisa que me separa desse amor, da minha felicidade, ela vai sofrer. Eu tenho que tirar ela do meu caminho. Custe o que custar.



Posts relacionados

0 comentários