Volta

13:34


Ei, lembra de mim? Sou eu. Aquela menina que costumava ter algum significado pra você. Aquela que em todas as manhãs te ligava pra te dar bom dia e na calada da madrugada te ligava pra te desejar um boa noite sussurrado e te lembrar das promessas que tínhamos feito há muito tempo. Eu sinto sua falta, sabe? Eu tento me enganar dizendo que não, mas eu sinto. Eu ando enganando todo mundo, todos acham que eu dei banana pra você, mas nós sabemos que não é bem assim. Eu ando meio solitária esses dias, olho pro lado e não vejo ninguém pra desabafar, ou falar sobre a vida e como ela tem me rendido boas noites de insonia. As vezes eu penso como a vida teria sido se você não tivesse ido, sabe? Eu paro para escutar o som das batidas do meu coração as vezes, o quão solitário isso soa? Faz quase dois anos, é um longo tempo de solidão, você não acha? Acho que eu vivo a sua sombra, presa a quem eu era quando estava com você. Eu temo não ser nunca mais aquela garota. Eu gostava dela.

Eu ainda penso em você, parece idiotice, você nem deve mais lembrar de mim. Eu te procuro nos nossos lugares favoritos, ou os que costumavam ser, eu sei que você não estará lá. Acho que algo pequeno dentro de mim ainda não perdeu a esperança. Eu tento achar traços de você em cada pessoa que eu conheço. Isso soa errado, e é. Eu andava pensando em tudo que passamos, não é irônico pensar nos nossos planos pro futuro como algo que nem aconteceram e já se tornaram um passado distante? As coisas mudaram, pra nós dois, nós mudamos, a vida fez isso. Eu costumava dizer que eu tinha sorte por ter meu melhor amigo e o cara por quem eu me apaixonei em uma pessoa só. Bem, agora eu não tenho nenhum dos dois. Eu e você. Juntos. Era como costumava ser. Eu me chamava de sortuda enquanto os outros me chamavam de idiota por ser tão apaixonada por você. Eu ria deles. Agora eles choram comigo.

Eu tenho flashbacks de quando você me dizia que não ia ser igual aos outros. Que nós íamos enfrentar tudo, juntos, custe o que custar. Você dizia que nosso romance ia superar Romeu e Julieta e tantos outros.  Não é mais assim. Não sei se algum dia foi. Você seguiu em frente, e eu estou aqui presa na chuva olhando pra sua porta pensando no que você estaria fazendo agora.

Eu sou uma romântica incorrigível, eu penso que tudo poderia ter uma cena de filme. Eu queria alguém pra me amar e me apoiar como nos filmes dos anos 80 que eu insisto em assistir. Eles me iludem. Me mostram que a vida pode ser tão mais bela, tão mais cheia de cor, de vida. Mas não é assim. Nunca foi. A vida não é um filme. Nunca vai ser. Porque se a vida fosse realmente um filme você estaria comigo agora.


Posts relacionados

0 comentários