Diário de viagem: Curitiba 1° dia

16:00


A ideia era conhecer Gramado. Mas, não sei se vocês já repararam, mas viajar para lá é bem carinho. Apesar de valer a pena. Então, quando entreguei uma carta endereçada à Babi para minha mãe colocar nos Correios, ela teve a ideia abençoada de visitá-la. Uns dias em Curitiba, por que não? Todo mundo falava bem da cidade. Em menos de uma semana, estávamos com passagem e hotel reservados. Só faltava controlar a ansiedade. 

Madrugada do dia 29/04/2015, eu só dormi umas três horas e estava a caminho (e que caminho longo) do aeroporto de Natal. Que é muito bom, apesar da distância e do acesso vergonhoso. Às 5h, o avião decolou de Natal rumo à Brasília. Foi bem tranquilo, dormi um pouco, desembarque normal, tudo bem. E se você já teve a oportunidade de assistir ao nascer do sol acima das nuvens, considere-se alguém de sorte, porque foi uma das coisas mais fascinantes que já vi. 

A partir do voo de Brasília para Curitiba, meu destino final, é que eu não sei dizer se minha sorte começou a falhar ou se o sono passou a afetar de verdade meu humor. Provavelmente as duas coisas. Sei que uma ~tonta~ na minha frente desceu com tudo a cadeira em cima de mim, eu me senti meio mal durante o voo e minha visão da janela foi comprometida pela asa do avião. Parecem besteiras (e são), mas não quando você está morta de cansaço. Chegando em Curitiba, o aeroporto não era bacana quanto o de Brasília e eu não estava muito bem preparada para o frio que estava fazendo na cidade. Não fui com a cara de ninguém, fomos mal informados e pagamos caro por um almoço sem graça, além de termos que esperar dar a hora de poder entrar no quarto, porque chegamos mais cedo que esperávamos. 

13h eu já não suportava mais interação humana. Estava no ápice da minha exaustão. Então, subi 5 andares de escada, porque, por sorte, o elevador tinha quebrado naquela manhã, e finalmente pude aproveitar o conforto do meu quarto com meus pais. Pelo menos isso, o quarto era confortável. Pena que eu não consegui dormir, mesmo assim. 

Foi uma primeira impressão bem ruim de Curitiba. Meu pai não parava de repetir as pessoas que tinham recomendado o destino a ele, tentando mais se convencer que a viagem seria boa do que a mim e a minha mãe. Mas era só o primeiro dia. Eu tinha uma ótima programação planejada e a expectativa de encontrar Bárbara e Rosivaldo, dois amigos que, de uma tacada só, foram roubados de Natal por esse imã maligno chamado Curitiba.

Foi só um mau começo. Jantamos num fast food, apesar da minha mãe ter dito que não iria comer nada disso na viagem. Descobri que tem uma galera bem louca pelas ruas dessa cidade. E combinei de ver meus amigos no dia seguinte <3 portanto, o que me restava era apenas esperar por momentos melhores. Porque todo mundo ama Curitiba, e eu não seria exceção. 

Passei cinco lindos lindos dias por lá, que serão detalhados em cinco belos posts aqui no CDG. Vou contar um pouco sobre minha experiência, assim como tentar dar umas dicas para quem pensa em visitar a cidade. Aproveitem a série e procurem os outros posts com a tag "Curitiba". Espero que curtam os posts tanto quanto eu curti a viagem <3


Postado por: Ana Letícia 

Posts relacionados

0 comentários