Curitiba - segundo dia

13:19


Finalmente <3



De longe um dos melhores dias de todos. Quando eu reencontrei a Bárbara, nem parecia que tinha passado aquele tempo todo. Vi-a chegando agasalhada pela rua, tinha acabado de encontrar minha mãe pelo caminho. Eu e Babi nos abraçamos depois de meses separadas por quilômetros e quilômetros de distância. Ela me parecia mais baixa do que eu lembrava, mas sei que era só a parte bullying do meu cérebro pedindo para zoá-la :P E digamos que eu aproveitei bastante para descarregar isso durante a viagem haha <3

Pegamos a linha turismo (que é meio carinha e demora uma eternidade para dar a volta, mas para conhecer certos lugares vale a pena) e descemos no Jardim Botânico, claro. É o destino indispensável de quem vai a Curitiba, e com razão, porque é maravilhoso. Só a vista da estufa já é linda, lá dentro então, é maravilhoso. E eu nem tenho palavras para a trilha sensitiva. Definitivamente encantador. Se um dia Babi me convencer a morar com ela (ou seja, enfrentar o frio da cidade e a loucura dessa garota), quero viver no Jardim Botânico, fascinada para sempre por aquele lugar.

O dia estava frio, mas o vento batendo enquanto estávamos no ônibus foi o que me matou. E olha que o percurso até a Santa Felicidade é bem demoradinho, então mesmo que eu Babi estivéssemos distraídas conversando tudo que não pudemos nos últimos meses, eu pensei que não ia chegar no destino nunca e que morreria de hipotermia ali mesmo. O pior é que, para os curitibanos, o clima tava bem ok. Loucos (!!!). 

Descemos em frente ao restaurante mais caro da rua, mas entrar lá só serviu para decidir que não seria ali que comeríamos. Acabamos almoçando no Casa de Arcos, que foi muito gostoso e tinha um suco de uva integral ótimo. De lá, enfrentamos o ônibus novamente, descendo na Praça Tiradentes, e nos perdendo um pouco antes de reencontrar a Rua das Flores, onde estávamos hospedados. Babi ficou no meio do caminho, para pegar ônibus de volta para casa, e eu voltei com meus pais para o hotel, depois de descobrir como. Pelo menos deu para conhecer um pouco do centro de Curitiba.

O frustrante é que depois descobrimos que a Praça Tiradentes era bem perto da Rua das Flores, o problema é que nos ensinaram errado como chegar lá. O pessoal não é muito bom para dar informação, sinceramente. Amei a cidade e tal, mas é legal ter internet para jogar dúvidas no Google Maps se você não sabe para onde está indo. Nada pessoal, enfim. 

Mais tarde a família da Babi foi me buscar e fomos ao Pizza Hut <3 Eles são uns lindos, a noite foi maravilhosa. Eu estava tão feliz por ter conhecido lugares incríveis e passado um tempo com pessoas que eu não via há tanto tempo, que fiquei triste lembrando da data de retorno marcada para o domingo. Realmente sinto falta daquela quinta-feira fria. Porém, ainda podia aproveitar o tempo que me restava e, felizmente, foi isso que fiz <3

Em resumo: recomendo o passeio na linha turismo, mas só para ir a lugares mais distantes. Façam roteiro e não deixem de visitar o Jardim Botânico. Ah, descobrimos que a Ópera de Arame, que aparentemente é muito linda, está fechada atualmente. E que o bairro de Santa Felicidade tem bons restaurantes, então não percam de ir almoçar/jantar por lá.

Até o próximo post #curitiba (^.^) 







#modelando 






Inicio da trilha sensitiva 






Normal



Esse lugar é muito lindo (!!!!!!!!!!!)





Pizza Hut <3


Postado por: Ana Letícia 

Posts relacionados

0 comentários