Pequenas Confissões: Desculpas desnecessárias

15:13


- Você me ouviu Rafa, eu vou ficar com os dois.
- Ficar com os dois...
- Eu não posso abrir mão de nenhum de vocês. Você e o Lucas são tudo o que eu tenho, eu não posso abrir mão de jeito nenhum da amizade de vocês e...
- Pera, amizade? - Ele falou como se a palavra amizade tivesse um gosto azedo em sua boca.
- Sim, amizade. Como você achou que eu ia ficar com os dois?
- Bem..
- Você achou que eu ia ficar com os dois dessa maneira que eu acho que você está pensando?
- Sophia...
- Sophia nada! O quanto você me conhece, Rafael? Você acha que eu sou desse tipo? Eu sei que eu magoei você e o Lucas de todas as formas possíveis, mas eu nunca, NUNCA, faria uma coisa desse tipo.
- Sophia, olha, me desculpa. Eu sei - Eu o interrompi mais uma vez.
- Não, Rafael. Você não sabe. Acho melhor você ir.
- Ah... Ok, tudo bem. Eu vou te dar um tempo. Me desculpa, Soh. - Disse e saiu pela porta.

Eu olhei pro teto. Eu sou uma pessoa tão ruim assim? As pessoas realmente pensam que eu poderia fazer uma coisa tão terrível assim?
- Sophia?
- Oi, Lucas.
- Eu ouvi tudo, você está bem? - As lágrimas e os soluços apareceram, foi tudo rápido. D repente eu estava nos braços do meu melhor amigo soluçando loucamente. - Ei, Soh. O que houve? Você está assim por aquele babaca?
-E sou tão ruim assim Lucas? - Falei entre um soluço e outro, as lágrimas não paravas de escorrer.
- Do que você está falando? Você é a pessoa mais incrível do mundo. O que aquele babaca disse não tem pé nem cabeça. Ele foi um idiota, entendeu? - Disse e me apertou mais ainda em seus braços.
- Lucas, eu sinto muito. - Disse quando eu me acalmei.
- Pelo que?
- Por ter me afastado, por ter te ignorado... Por tudo.
- Não tem que se desculpar por isso, ninguém teve culpa. Aconteceu porque tinha que acontecer, calma.
- E você?
- Eu o que?
- Acredita que cada pessoa tem outra?
- Sim, acho que caem duas estrelas do céu por vez, sabe? Todas temos nossa pessoa, nossas ações podem nos aproximar ou nos afastar dessa pessoa. - Então ele parou e ficou me olhando, Um tempo depois eu quebrei o silencio
- Eu concordo com você.
- É, eu acho que minhas ações levaram minha estrela pro outro lado do país.
- Lucas...
- Eu sei, eu não vou te pressionar. É apenas meio difícil me controlar e controlar o que eu digo perto de você, é sufocante.
- Desculpa.
- Pare de se desculpar, com quem você pegou essa mania? Essa não é minha menina forte.- Eu dei uma risada
- Acho que deixei ela em São Paulo.
- Você podia voltar e pega-la. Quer dizer, eu sei que você arrumou um emprego bom aqui, você podia voltar pras férias, não sei, só pra nos ver. Talvez.
- É uma boa ideia.
- É, eu gostei dessa ideia. Ficar mais próximo de você, eu poderia vir morar aqui algum dia.
-  Algum dia a gente pensa nisso.
- É, pode ser. - Então ficamos calador por um tempo, palavras não eram necessárias, só o abraço dele me acolhia.

Postado por: Tuane Peres

Posts relacionados

3 comentários