As Luzes de Setembro

20:47



A Simone Sauvelle se muda de Paris para o litoral da Normandia com os filhos, Dorian e Irene, após um ano de sombras deixadas pela morte de seu marido. A família passa por momentos bastante difíceis, mas, em Baía Azul, é acolhida pelo fabricante de brinquedos Lazarus Jann, morador da estranha mansão Cravenmoore, assim como seu esposa doente. Simone é contratada como governanta e atende às mais estranhas exigências do novo e agradável patrão. A mansão, porém, parece ter vida, cheia de invenções e brinquedos que à luz do dia parecem inofensivos, mas à noite ganham uma atmosfera sombria. É bizarro, devo dizer. Irene, por sua vez, logo arranja um namoradinho na cidade, Ismael, e os dois se tornam ainda mais próximos quando precisam desvendar os segredos que habitam Cravenmoore. 

"As Luzes de Setembro" é o terceiro livro da Trilogia da Névoa (que conta com "Príncipe da Névoa" e "Palácio da Meia-Noite" também), porém o primeiro que li. Pelo que sei, é um dos primeiros livros do Zafón, e não sei se isso tem muita relação, mas realmente não é dos melhores. O que não quer dizer que não seja bom, é claro. Mas a história não é tão desenvolvida e envolvente quanto as da Trilogia Cemitério dos Livros Esquecidos, a qual me fez me apaixonar pelo autor. É um tanto simples, tem seu ar de mistério e é bastante voltada para um lado mais sombrio. Como o próprio Zafón no conta nas primeiras páginas, esse romance foi construído com mais elementos cinematográficos que literários, talvez por ter sido escrito enquanto ele morava em Los Angeles, num apartamento do qual podia ver as letras de Hollywood nas colinas. Mais ou menos com essas palavras. 

Entretanto, a maneira como Zafón escreve ainda me atrai bastante, e me inspira também. Às vezes, lendo de madrugada, eu parava a leitura e ficava pensando na lenda sobre a qual o livro gira em torno e não posso deixar de admitir que é um pouco perturbadora. Adoro romances! O casal da história, Irene e Ismael, tinha um relacionamento que andava a passos bem largos, mas ainda sim eram bem fofos. Gosto da Irene, é legal ter mulheres fortes protagonizando qualquer história. Por fim, posso dizer que gostei sim, e recomendo, assim como os outros livros do autor <3


Postado por: Ana Letícia

Posts relacionados

0 comentários