Cinderela Chinesa - A história secreta de uma filha renegada

22:06


"Adeline é ignorada pelo pai e odiada pela madrasta. Como a mãe morreu duas semanas depois de ela nascer, os irmãos acreditam que ela traz azar e, por isso, a desprezam. De amigos, tem o avô, a tia e os livros. Para piorar, o país está em guerra e ela é jogada de um colégio interno para o outro, sem nunca receber visitas nem carinho. Rejeitada por todos, sua infância poderia ser só tristeza e sofrimento, mas não é. Essa história real mostra como, com coragem, criatividade e talento, Adeline tem a chance de conquistar a vida que sempre sonhou."

Cinderela Chinesa é um livro que me acompanhou desde criancinha. Lembro de caminhar com minha mãe em um parque perto de casa, ainda em Brasília, e atravessar a pontezinha que dava vista para o lago cheio de tartarugas e patos enquanto ela lia para mim. Lembro de sempre ter na memória como Adeline descreveu os pequenos pés da sua Nai Nai. Lembro de, no ano passado, deitada na rede em uma casa de praia, recomeçar esse livro pela milionésima vez. Esse livro sempre esteve por perto, mas eu nunca soube seu final, nunca soube o final de Adeline. Na verdade, nunca soube o quão difícil realmente fora sua vida, porque nunca tinha chegado nem na metade do exemplar que carregamos nas duas mudanças. Essa semana eu o vi e coloquei na minha lista desordenada de metas (junto com A Teoria de Tudo, que eu simplesmente não consigo terminar). No fim das contas, o passei na frente de tudo, até mesmo do trabalho de Sociologia, e em poucos dias cheguei ao final. Hoje não consigo descrever o quanto eu queria poder abraçar essa mulher, a criança que ela foi, e agradece-la por dividir sua história comigo. Também queria dar um tabefe na Niang por ser tão cretina, e um beijo na Tia Baba e no Ye Ye, por serem tão maravilhosos quanto as minhas próprias tias são e meu avô foi, mas vamos falar só da Adeline mesmo.

É uma leitura que eu recomendo? Definitivamente, sim. Trata-se de uma autobiografia, como deu pra sacar lá em cima, mas ela é tão leve que não fica massante, e dá sim uma dor no coração quando você percebe que se tratou de uma pessoa real, que existiu e sentiu de verdade aquela dor. Eu meio que me senti uma pessoa um pouco melhor depois de ter lido, consegui fechar o livro e agradecer ao Universo por ter uma vida tão fácil perto da vida que teve a pequena Yen desprezada. Não consigo nem dizer a vocês o quão grande ficou minha vontade de ler os outros livros dela, mas meu inglês me fará esperar e rezar para que chegue ao Brasil uma versão traduzida. 

Gênero: autobiografia
Ano: 2006
Estrelas: 10/5 hahaha
Preço: R$33,50 na Saraiva e na Cultura

E para quem quiser saber um pouquinho mais sobre a Adeline, dá uma conferida aqui, ó: link 1 | link 2 | link 3


Postado por: Bárbara Andrade

Posts relacionados

0 comentários