Vitimas não devem ser culpadas

20:24


Jurei pra mim mesma que eu não iria escrever sobre coisas polêmicas, a não ser na redação do enem. Mas não deu pra me segurar depois de ler um texto, nossa. Um e-mail de uma menina pra o pessoa do "Lugar de Mulher" que me deixou horrorizada. Até quando a vítima será a culpada por algo que nojentos, doentes e criminosos fazem? "Ah, mas ela tava pedindo.", "Ah, mas ela tava de roupa curta". Não me interessa se ela estava ou não de roupa curta. Estupro é estupro, seja a vítima quem for. E não, ela não estava pedindo, se ela estivesse pedindo não seria estupro, seria sexo consensual. 

Quando eu vejo frases semelhantes a essa: "O cara que divulgou as fotos tá errado, mas ninguém manda tirar foto pelada!", eu me pergunto se esse não é o tipo de pessoa que acha que existem mulher "pra pegar" e mulher "pra casar", me pergunto se esse não é o homem que joa um guardanapo na cara da namorada e diz que o batom vermelho faz ela parecer "uma puta". Esse , provavelmente, é o tipo de pessoa que acha que mulher que bebe pede, que fala palavrão não se pega e que se não usa saia se torna menos feminina. Isso é machismo, e os pequenos machismos nos levam a cultura do estupro e a culpabilização da vítima.

Para você, meu caro amigo(a), que não sabe o que são esses dois termos, aqui vai minha pequena pesquisa: Cultura do estupro - São vários atos que, em resumo, defendem o agressor e/ou culpam a vítima do acontecido. A edição da Superinteressante do mês de julho fala sobre isso e é maravs. Leiam, comprem e compartilhe. Culpabilização da vítima - Faz parte da tal cultura do estupro. Isso acontece quando indivíduos, podendo ser desconhecidos, homens, mulheres, policiais, amigos e até família da vítima a culpam do acontecido, isso pode ser com sua frase de "brincadeirinha" no Facebook. Isso mesmo, aquela que você achou super engraçada e riu a beça. Isso pode ter afetado muito o psicológico da vítima que já está suficientemente prejudicado. Isso de culpar a vítima alisa a cabeça do agressor e traumatiza ainda mais a vítima, como se a pessoa em questão já não tivesse sofrido o suficiente. Me admira muito ver pessoas ditas esclarecidas falarem coisas do tipo em redes sociais. Não são apenas homens, são mulheres e até mães! Até quando sociedade? Até quando esse machismo sem nexo vai persistir em continuar?

Ah, mas e e for na delegacia? Por muitas vezes o tratamento vai ser o mesmo. Você vai a delegacia pensando que estará em um lugar seguro onde as pessoas não poderão mais de atingir e seu agressor será preso? Está enganada! Muitos delegados machistas ainda estão no século XIX, achando que se uma mulher estava na rua as 23:00 sozinha ela estava pedindo. Em minha humilde opinião todos os policiais deveriam ser mais bem treinados para atender mulheres com problemas como esse ou semelhante. 

Não se engane! Estupro não é apenas om desconhecidos nas ruas, pode ser seu namorado, ficante e até mesmo marido. Ninguém nunca pede pra ser estuprada. Quando vestimos algo é porque gostamos desse algo, gostamos e nos sentimos bem. "Mas não ta curto demais?" "Não, não está.", eu me sinto bem usando o que quer que eu use, e não, não justifica me alisarem, me assediarem, me julgarem e muito menos me estuprarem. Não é não! Aprendam que mulher não é um objeto. Algo tão grave não pode continuar.

Cantadas de rua também ajudam a fixar a cultura do estupro. Como? Simples, elas tratam a mulher como objeto. "Mulheres não sabem lidar com elogios", sabemos sim, e muito bem. Somos super educadas, nos diga que somos lindas, que nosso sorriso é belo ou que nossos cabelos tem um formato bacana e nós o agradeceremos. "Ah, mas é bom pra auto estima", não, não é. Quer ajudar alguém com a auto estima? Dê um elogio decente, por favor. 

Nenhuma pessoa deveria ter medo de sair na rua por imbecis que não controlam seus estúpidos hormônios. E muito menos se envergonhar do que esses imbecis fazem achando que a culpa é dela. Cara sociedade, está na hora de acabar com o preconceito com a pessoa errada. Está na hora de parar de olhar a situação com olhos machistas e preconceituosos. Não é algo para se tapar os olhos e culpar a última pessoa que deveria ser culpada. A vítima. 

Mais sobre a matéria da Superinteressante aqui.

Postado por: Tuane Peres


Posts relacionados

0 comentários