Era uma vez: Amor de pai, amor de amor, amor desde sempre

08:59


Era uma vez amor de pai, era uma vez amor de amor
Anônimo.

Tem cheirinho de pipoca, suco de limão e linguiça feita no microondas. Tem gosto de saudade e uma grande barriga de bolinha. Toda noite vem deixar meus três remedinhos na cama, com um copinho de alumínio, sem dizer nada. Toda manhã deixa um leite com nescau pra eu tomar. À noite, me ouve chorar e só olha quieto, da porta. De vez em quando senta e conta uma história pra cessar meu pranto. Dessa vez é sobre sua infância. Ou será sobre o seu trabalho? Não dou muito cabimento. Só quero aquele colo para sempre. Inventa desculpa só pr'eu ficar em casa com ele. O que será que vamos fazer hoje? Assistir futebol? Andar pelas ruas da cidade e comprar picolé? Não sei. Mas vamos dar muitas risadas. Vamos? O tempo passa. E leva. O orgulho destrói e o que fica é a saudade.

------------------------------

Não sei se começou mesmo no primeiro beijo. Talvez tenha sido no primeiro abraço. Quem sabe no primeiro olhar. Conquistou-me sem querer e querendo - dançou conforme a música. Lenta. Suave. Gradativa. Ensinou-me os passos. Girou meus braços e me fez rir. Ri de volta. Envolveu meu corpo no dela e disse que eu estava segura. Pisei no pé dela. Pisou no meu pé. Sentei e disse que estava cansada e não queria mais dançar. Fez questão de me levantar e me mostrar de como nossa dança tem uma perfeita sincronia, ritmo e encaixe perfeito. Caímos, levantamos, mostramos a nossa dança para algumas pessoas, para outras não. Talvez a nossa seja proibida de ser vista quando dançada. Eu não preciso de nada, desde que nada me impeça de dançar com ela.

Era uma vez amor desde sempre
Anônimo.

"Foi chegando sorrateiro e antes que eu dissesse não, se instalou feito um posseiro dentro do meu coração", basicamente minha história começa assim.

Eu tinha um coração e intocável mas, por algum motivo ainda não explicado, esse moço me aguentou, me ensinou como deixar sentir é bom e aos poucos foi esquentando a frieza que havia em mim até que eu me vi realmente amando alguém e NAMORANDO.

Mas todo carnaval tem seu fim e com ele meu romance acabou. Meu coração agora é frio igual a terra onde esse jovem moço habita.

Quando crianças brincávamos e víamos desenho juntos. Até que um dia, por curiosidade de ambos os lados, ocorreu um beijo inocente e foi então que eu realmente apaixonei. Primeiro beijo, primeiro amor.

Depois desse ocorrido passamos anos apenas sendo amigos, até que ele teve o coração partido e acabou rolando um beijo. Desde esse dia a nossa relação é bem aquela música do Cazuza, "um estória romântica" com a seguinte frase "o nosso amor a gente inventa para se distrair e quando acaba a gente pensa que ele nunca existiu". Nos ficamos quando dá vontade, e todas as vezes eu olho pra ele com um olhar de admiração e encanto. No que vai dar? Bom, deixa isso para uma outra vez...

O projeto Era Uma Vez reúne histórias de amor, de qualquer intensidade e de qualquer formato. Conheça mais sobre o projeto neste post, e nos envie sua história de amor através do email: cacadoradegalaxias@hotmail.com não seja tímidx <3

Obrigada aos corajosos anônimos que compartilharam sua história aqui =D

Postado por: Ana Letícia

Posts relacionados

0 comentários