Era uma vez o amor mais novo, sobrancelhudo e distante

17:13

Imagem de couple, john stezaker, and art

Giovanna Corrêa 

Bem, no dia 09 de Julho de 2014 eu estava de férias. Minhas amigas mais próximas tinham viajado e eu fiquei em casa mesmo. Já era de noite quando eu lembrei de uma conversa que tive com uma amiga uns anos antes. Ela tinha me falado de um site ai (que não me lembro o nome) onde a gente falava com pessoas desconhecidas! Então eu pensei comigo mesma "por que não?"

Entrei no tal site e passei a noite conversando com várias pessoas, umas conversas melhores do que outras. Já tinha passado da meia noite e em algum momento da madrugada comecei a conversar com uma pessoa. Ele disse "oi"e eu disse "oi". Ele perguntou meu nome e eu menti (sei lá, né, segurança em primeiro lugar). Mas não menti por mal, só achei que aquela conversa não ia dar em nada (pequeno equívoco). Ele me falou o dele e então começamos a conversar.

Falamos de nossas idades, gostos, nacionalidades, sonhos e opiniões sobre o mundo, até que depois de um bom tempo de conversa ele falou que tinha gostado muito de mim e pediu meu número... OBVIAMENTE NÃO DEI, já que eu não sou nenhuma otária que passa o número pra qualquer menino que conhece na internet! Ele continuou insistindo mas eu sempre negava.

Pensei em parar de conversar com ele, mas a conversa estava tão boa que pensei "não vai fazer mal eu continuar aqui desde que não de meu número". Não parei de conversar com ele e ele parou de ficar pedindo. Conversamos mais um tempo, até que ele me mandou o número dele e falou que quando saísse ou se a nossa conversa travasse eu poderia pensar novamente em adicioná-lo no WhatsApp.

Eu já estava meio intrigada pensando "o que esse menino tanto quer comigo?" Ai eu comecei a fazer aquele cu doce básico, me perguntando o porquê dele querer tanto o meu número. Ai ele falou que nunca tinha conhecido uma garota igual a mim, que amou meu jeito de pensar e de ver o mundo.

Sim, meu primeiro pensamento foi "vai nessa que eu vou acreditar" mas ai ele continuou falando que tinha pego o número de várias garotas naquela noite, mas nenhuma igual a mim. ENFIM peguei meu celular, adicionei o número dele pra ver a foto que estava no WhatsApp. E eu gostei. Parece idiota, julgar "um livro pela capa" ou colocar a minha segurança em risco por causa de uma foto que podia muito bem ser falsa... Mas eu realmente gostei do garoto que estava lá. NÃO, ele não é o garoto mais gato, lindo, delícia e sedução do mundo! Mas conseguiu me atrair.

E então lá vou eu e mando umas carinhas pra ele ver que o adicionei. Não demorou muito pra ele responder (e nessa hora já estava de manhã),. Pensei um pouco depois de falar com ele, expondo meu número (opa),  mas ai pensei "qualquer coisa eu bloqueio". Continuamos a conversar no site mesmo, mas logo ele teve que sair (e sim, a essa altura eu já tinha contado meu nome de verdade), ia viajar de volta pra cidade dele e por isso decidiu não dormir (na noite que nos conhecemos). E quando ele foi, eu fui dormir, pensando que quando acordasse ele teria chegado em casa e poderia falar comigo.

EU JURAVA QUE A VIAGEM ERA DE UMAS 4HRS, NO MÁXIMO! Acabou que quando eu acordei querendo falar com ele, o menino não tinha dado sinal de vida. E eu já tava puta de vida! Passei O DIA do lado do celular esperando ele aparecer. E acabou que não rolou tão cedo assim. Hoje sei que essa maldita viagem que ele sempre faz dura 16 horas. Ele chegou na manhã do dia seguinte (11/07) e então falou comigo pela tarde. Pois é, eu já tinha ficado meio puta, mas acontece, já que ele viaja de ônibus.

A partir daí nós conversamos todos os dias. No início ele nunca vinha falar comigo, era sempre eu que ia atrás. Até que um belo dia eu dei uma pequeno ataque perguntando porque ele pediu meu número se não fala comigo. A partir desse dia ele começou a falar também. Nos falávamos sempre! Todos os dias depois da aula! Eu não fazia muita coisa na minha vida, mas ele fazia umas quatro lutas durante a semana (além de fazer academia!), e eu nunca gostava de quando ele ia, já que ele ficava muito tempo fora.

Foi passando o tempo e nós não cansávamos! Pelo menos, eu não. Não conseguia ver algo na rua sem pensar que tinha que falar pra ele sobre, não gostava de sair e ter que parar de falar com ele, mas sempre que fazia, dava um jeito de mandar uma foto de como eu estava (fazer o que, ele me achava linda!), onde eu estava, que horas eu estava, porque eu estava e quando eu ia estar. Pois é, ele sabia de tudo isso (e ainda da roupa!!)

O tempo passou, passou e passou. Até que ele se declarou pra mim, falou que estava completamente apaixonado. Nesse dia eu fiquei sem muita reação e quando a ficha caiu, bateu aquele medo. Um garoto mais novo que eu, de sobrancelhas grossas e de outro estado gosta de mim. Naquele momento eu não soube o que falar, eu não queria ter um relacionamento a distância, eu não queria gostar de um garoto que morasse longe. Então eu falei que gostava dele, mas que não entendia meus sentimentos (o que, em parte, era verdade).

O tempo foi passando, mas depois desse dia ele sempre falava que gostava de mim. Tipo, ele tinha mesmo falado a verdade.

Minhas amigas sabiam de algumas coisas sobre ele, mas eu não fazia questão de falar muito... Já que eu não queria que desse em alguma coisa mais séria.

Chegou outubro e, como eu faço todo ano, viajei para o Rio de Janeiro! Lá me colocaram em um grupo no WhatsApp onde eu não conhecia ninguém (só uma amiga) e aí um garoto desse grupo começou a dar em cima de mim, falando que queria sair comigo e tal. E eu sempre falava  "ah, vamos ver. Quando eu voltar pra casa nós vemos". Mas ai ele começou a realmente marcar e ai eu falei pra ele que não podia sair com ele, já que gostava de outro garoto. Nesse dia eu me declarei! Falei tudo que sentia por ele, mas também falei que não ia namorar com ele até ele vir me ver. Ele concordou e então começamos a nos chamar de "quase namorados".

Nesse momento me senti mal por não contar nada disso pra minha mãe, mas não sabia COMO falar que gostava de um garoto que morava em outro estado! Mas SIM, depois de um tempo eu contei pra ela! E depois de algumas perguntas, ela aceitou bem.

Em novembro aconteceu o casamento da minha prima (coincidentemente, com um cara que ela namorava a distância). E então lá eu estava dançando com minhas primas e um garoto ai (não me lembro o nome) me chamou pra dançar. Recusei na hora! Mas ele insistiu e eu aceitei, só uma dança não mataria ninguém. Mas claro, aquele momento foi um dos mais agonizantes da minha vida, não parava de pensar no meu "quase namorado". Minutos se passaram e a minha irmã me arrancou de lá, falando que meu pai ia ficar puto da vida se ele visse isso (duvido, ele tava muito bêbado pra fazer qualquer coisa), então eu sai mesmo!

Passei o resto da festa de casamento triste e pedi para minha mãe me levar pra casa, ela concordou. Já no carro eu comecei a me lembrar de como eu amava o meu quase namorado, e em como eu sou uma ridícula por ter aceitado dançar com outro garoto. Então fiquei muito mais triste. No dia seguinte contei pra ele. E sim, ele não gostou. Não deu ataque de ciúmes, não fez nada, só pediu pra pensar um pouco. E eu concordei, não tinha gostado de mim por ter dançado com alguém que não queria.

Comecei a falar pra ele que sou uma idiota, que não merecia ele e que era a pior quase namorada de todas. Quando falei isso, ele mandou eu não falar besteira, e que eu não era "quase namorada" droga nenhuma, mas sim namorada. E eu, obviamente, aceitei. 09/11 começamos a namorar, e então começamos a marcar um dia para ele vir! Ele decidiu que viria com a tia dele (pra ter certeza que minha família não era uma família de traficantes) mas tive que contar tudo pro meu pai... SIM, foi muito difícil! Mas valeu a pena e, no fim, ele também aceitou.

Dia 02/01/2015 meu NAMORADO e a tia dele vieram. Não tenho palavras para explicar como eu estava nervosa com a chegada dele. A chegada daquela pessoa que eu tanto amava! Pensava em várias coisas: "como deve ser o toque dele? O cheiro dele? O olhar dele? Será que ele vai gostar da roupa que estou usando? Será que ele vai me achar muito gorda?". TUDO passava pela minha cabeça, mas nada me mantinha calma. Chegamos no aeroporto e eu corri pra área de desembarque. E no mesmo momento ele saiu! Não parei de correr, só continuei na direção daquele garoto de cabelo cacheado até que trombei nele, abraçando-o da melhor forma que podia (e ouvi um "que fofo", vindo da tia dele kkkk)

Bem, foi nosso primeiro encontro. Passamos uma semana juntos, ele conheceu parte da minha família, meu pai viu meu pescoço cheio de roxos, a tia dele viu as costas dele cheia de arranhões... FOI UMA BELEZA! Mas, infelizmente, ele teve que ir.

Então, no carnaval eu que fui pra casa dele! Pois é, conheci mãe, padrasto, avô, avó, irmão, a parada toda! Todos os amigos que conheci gostaram de mim (imagino kkk). FOI UM SONHO! Também fiquei lá apenas uma semana, e voltei pra minha cidade com um lindo queijo que a vó dele mandou pra minha família! Haha

Porém, estava bom demais pra ser verdade. Com o passar dos dias eu fui me sentindo mal. Não conseguia aguentar a distância com uma pessoa que amo tanto. Então nós terminamos.

No nosso término, a única coisa que ele pediu foi pra que eu não parasse de falar com ele. Hoje agradeço, porque agora não tem um único dia que eu não tenha falado com ele desde que o conheci. Nesse tempo que pude pensar bastante e refletir, percebi que eu não estava feliz longe dele. Era mais seguro pra minha mente saber que eu não namorava alguém que estava longe, mas não era nada bom saber que a pessoa que eu amava estava longe e eu a tinha machucado.

Então eu falei que ainda o amava, e ele retribuiu! Ficamos assim umas duas semanas, até que uma amiga minha viu que meu status era bem gay e perguntou pra quem era e o que estava acontecendo comigo, e no final, acabei por contatar pra ela.

Falei que estava com medo de voltar pra ele, com medo de voltar a namorar! Vai que ele recusava meu pedido de namoro, vai que a mãe dele começou a me odiar porque fiz o filho dela sofrer horrores, vai que a minha família me julgava por eu voltar para um relacionamento mais complicado que o normal. O que mais me deixou assustada é que eu sempre fui aquela pessoa que não liga para o que os outros dizem, e naquele momento era tudo que eu estava fazendo! Eu estava sendo uma covarde! Eu estava com medo de buscar a minha própria felicidade só porque algumas pessoas poderiam ser contra o nosso amor. E foi isso que minha amiga me disse: foda-se todo o resto! Só tem duas pessoas que precisam querer alguma coisa, eu e ele.

Naquela madrugada eu estava conversando com ele e ai a coragem deu um tapa na minha cara e eu perguntei: quer namorar comigo?

Eu levei um outro tapa na cara, só que foi do universo, quando o garoto que eu amava começou a me enrolar falando que não sabia e tinha que pensar. Ele acabou desligando falando que tinha que sair, ai eu "hm, ok".

Cinco minutos depois ele me ligou de volta pedindo pra namorar comigo. Só de sacanagem eu falei que não, mas logo depois eu aceitei. E agora estamos juntos há uns três meses.

O projeto Era Uma Vez reúne histórias de amor, de qualquer intensidade e de qualquer formato. Conheça mais sobre o projeto neste post, e nos envie sua história de amor através do email: cacadoradegalaxias@hotmail.com não seja tímidx <3


Postado por: Bárbara Andrade


Posts relacionados

0 comentários