Feche a janela de vez em quando

13:27


Eu disse que escreveria sobre Internet, então aqui estamos: 

A Internet é uma ferramenta incrível. Não sei o que seria de mim sem as vídeo-aulas de química que assisti muitas vezes antes das provas, sem pesquisar no Google qual o significado de palavras da moda como "blasé", sem passar horas entretida com o Netflix ou Youtube, sem criar dezenas de blogs nos quais eu despejava meus pensamentos em forma de texto (como esse) e sem poder stalkear os crushs em todas as redes sociais possíveis. Além de sites como Pinterests, que dão ideias incríveis, como o BuzzFeed, com suas matérias divertidas, de sites úteis como aqueles que ensinam como pessoas sem talentos culinários podem cozinhar, entre outros. Eu me sinto muito feliz por ter nascido nessa época (mesmo que os anos 80/90 pareçam ter sido muito legais também). 

Além disso, a Internet é democrática. Muitos temas que eu nunca imaginei que fossem um problema são abordados por aqui, sob muitos ângulos. Pude refletir e pesquisar sobre sexismo, religião, racismo, política, entre outros assuntos. Encontrei apoiadores de todo tipo de coisa, desde funk à heavy metal, filmes franceses até superproduções americanas, Jean Wyllys à Bolsonaro. Todo mundo pode dar opinião, mesmo que nem sempre seja respeitado. E mesmo que, ao meu ver, seja um opinião 100% idiota. 

Mas, de alguma forma, a Internet me faz muito mal. Vai parecer repetitivo tudo que eu disser aqui, porém é a mais pura verdade. É preciso bater nessa tecla sim, porque às vezes a gente se esquece. Conversa boa é cara à cara, redes sociais mentem, às vezes a gente consome muita porcaria e usar celular por muito tempo faz mal para o corpo (digo isso porque volta e meia eu fico com a mão dolorida). Há exceções, eu sei. Mas essa é a realidade que nós temos e devemos encará-la. 

Deixando claro que eu estou falando com base no dia à dia das pessoas, ok? Grandes avanços sociais e tecnológicos não são argumentos para negar o que eu vou dizer. Não quero que todos os celulares e computadores do mundo sejam desligados imediatamente. Só quero que as pessoas se lembrem de avaliar a realidade na qual estão inseridas diariamente. 

Dói no fundo do meu coração ler certos comentários de Facebook. Continuo cometendo o erro de ler e sempre me arrependo. Sério, é profundamente angustiante ver a quantidade de pessoas sem empatia e cheias de ódio no coração espalhando ruindade por aí. Estou cansada de ver comentários negativos sobre tudo, discursos raivosos disfarçados de opinião e a desculpa de que é preciso garantir a "liberdade de expressão" para justificar tudo isso. As pessoas são desrespeitosas e só discutem para provar que estão "certas", não para construir uma ideia melhor a partir de posições diferentes acerca de um tema. Por isso surge um festival de ódio que fica mascarado na vida real, mas na Internet é bastante evidente. E só de ter contato com esse tipo de coisa, já é como se as palavras passassem a energia ruim dessas pessoas para mim.


Os temas importantes abordados costumam ser distorcidos ou sofrer ataques. Tem gente que problematiza demais, tem gente que desmerece qualquer tipo de movimento e tem quem se ache um especialista só porque leu dois ou três textos no Google. Tem gente que dá pitaco onde não se encaixa e outros que abrem a boca para falar do que não sabem como se fossem donos da razão. Os absurdos surgem de todos os lados e, se você não tiver criticidade suficiente para avaliar o que tem fundamento ou não, acabará sendo levado pela ondas irracionais que surgem o tempo todo na Internet. 

É verdade que as pessoas vestem máscaras nas redes sociais. Vidas perfeitas e Attwhores invadem minha timeline todos os dias. Li, há não muito tempo, um texto de um americano falando que antigamente ele via pessoas perfeitas nas revistas ou programas de TV e que no fundo sabia que tudo aquilo era uma construção da publicidade, mas hoje em dia basta abrir o Instagram para achar um monte de gente "comum" maravilhosa. Ele estava coberto de razão ao criticar isso. 

Às vezes eu me pego me comparando às outras pessoas, um erro gravíssimo para qualquer um. Eu me pergunto porque não sou legal como pessoa X, bonita como Y ou não vou a lugares bacanas como Z. Eu uso a ferramenta de "descobrir" do Instagram para encontrar vidas perfeitas muito distantes da minha. Às vezes tento até parecer legal para os outros, ato que me envergonha logo em seguida, porque não existe nada mais ridículo do que isso. Porque, no fundo, a gente nunca sabe o que se passa na vida pessoal do outro. Nem mesmo na vida dos nossos colegas de turma ou de trabalho. Pressupor que a vida de alguém é perfeita é algo muito idiota, e tentar provar que a sua vida é maravilhosa é algo mais idiota ainda.

Por fim, é preciso lembrar que na Internet praticamente tudo é útil para fazer publicidade. Alguns aplicativos, sites e programas monitoram sua atividade online para oferecer anúncios compatíveis. Famosos, como Kim Kardashian, usam a estratégia de simular uma proximidade com o público para vender produtos, já que assim as relações se disfarçam e você compra algo porque sua "amiga" Kardashian te indicou. Ok, nós vivemos em um mundo capitalista e blablablá, e eu não estou aqui reclamando que exista publicidade. Ela é super importante e eu reconheço cada vez mais isso a medida que entendo sobre empreendedorismo. O que quero dizer, na verdade, é que não podemos esquecer que ela existe, e que está por todo lugar. Você só está realmente livre para fazer escolhas quando está totalmente consciente delas.

Acho que a Internet deu ao homem a chance de se exprimir ao máximo, tanto seu lado bom, quanto ruim. O melhor e o pior da raça humana está explícito para nós, todos os dias, nas nossas timelines. Talvez essa seja a razão pela qual certas pessoas acreditem que o mundo está ficando pior, quando na verdade está tão ruim quanto sempre, e a única diferença é que agora temos conhecimento disso. Então, mesmo que seja muito bom usar essa ferramenta para trabalho ou diversão, creio que manter um pouco de distância também faz bem, em vários aspectos. 

Baixando alguns aplicativos simples, é possível saber quanto tempo você gasta online, e percebe quantas horas da sua vida todos os dias você gasta dando like em fotos de gente que você nem se quer se importa. Também é bom se policiar e não se deixar levar quando se depara com aparências, porque a gente nunca sabe o que se passa realmente na vida de ninguém. Nem mesmo na vida das pessoas com quem convivemos. Eu posso muito bem postar uma foto com a minha família e nós estarmos passando por qualquer dificuldade no momento. Eu posso escrever algumas coisas legais em uma rede social só porque sei que é o que os outros querem ler mas não acreditar em nada do que disse. E eu posso criticar o que eu quiser, quem eu quiser e o quanto eu quiser, anonimamente ou não, em qualquer lugar, só para me sentir melhor comigo mesma. Mas eu nunca me sentiria bem fazendo isso, sinceramente. Nem fico bem vendo os outros fazerem. 

Portanto, reflitam se vocês não têm passado pela mesma situação ou tido os mesmos sentimentos. Exposição demais nunca faz bem e, como a Internet é uma grande janela para o mundo, quando você abre, deixa entrar na sua casa (você mesmo) a luz, o ar fresco e também todas as porcarias que o vento trás do exterior. E pode fazer uma bagunça enorme. Então, guarde essas palavras: não desorganize o seu interior pelas balbúrdias externas. Feche a janela de vez em quando <3


Postado por: Ana Letícia 

Posts relacionados

0 comentários