Crônica: Agradeço

20:38



Cansaço, rotina, exaustão, correria, preguiça, branco, ausência, saudade, hesitação, medo, noite mal dormida, fome, cansaço (notou uma repetição, né?), excesso de informação, vazio. 

Não consigo escrever um texto completo, um texto com nexo, um texto do agrado - meu e, provavelmente, de qualquer pessoa. Tive a brilhante ideia de pegar um pedacinho de tudo que eu tentei transformar em uma coisa só, e deixei como estava. 

Parei de querer encaixar o que não foi feito para encaixar em certos lugares. Parei de querer colocar o que está gasto no lugar que só aceita aquilo que é inteiro. Parei de tentar transformar A em B, na tentativa de entender o que, afinal, é A (ou B!). 

Mas continuo viva, respirando, pensando e, vez por outra, prestes a explodir. Aqui sempre foi meu canto de sossegar, de relaxar, de desabafar e respirar. Não conseguir mais acessar isso (aqui e dentro de mim) é enlouquecedor, por vezes. 

Então, o que consigo, reuni aqui para compartilhar com vocês. Afinal, não posso desistir disso - nem de mim. Umas coisinhas soltas, que não consigo juntar com nada no mundo. Como nos caderninhos que ainda mantenho, um desabafo resumido em curtinhas frases. 

Obrigada por ainda me permitirem o uso do espaço. Talvez alguém consiga achar alguma ligação, algum nexo, algum conforto nesse punhadinho de palavras. 

No entrelaçado encontro da noite com o cansaço, me sinto oca.

Tento me recuperar em mim, refazer os passos e entender onde me perdi.

Abro os olhos e me deparo com os seus, captados sabe-se lá quando, ou como, em uma fotografia que, como previu o poeta, ao mesmo passo em que me afaga, apedreja.

A ausência, quando se trata de você, é árdua.

Vivo na memória do que já passou.

O tempo
Com tua promessa de me lavar da alma a lembrança da
Tua existência
Me trouxe a lembrança da existência de um nós
Acompanhada pela luz
Da expectativa
Do recomeçar

Que chance merece o destino?

O tempo
Me pede um tempo
Que lhe concedo
E no final deste sem nexo discurso
Agradeço. 

                                                                                 Postado por: Bárbara Andrade

Posts relacionados

2 comentários

  1. Palavras são apenas palavras, a menos que você dê significado a elas. Palavras soltas são inúteis a alguns olhos, mas são ninho para outros. Não pense que as suas palavras não vão ajudar ninguém, pense apenas que elas podem não estar lhe ajudando naquela hora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, que abraço esse que você me deu virtualmente agora, ein? Fico feliz que alguém possa realmente encontrar conforto na minha confusão! Um beijo.

      Excluir