5 coisas que me ajudaram com os estudos em 2016

13:34


Não é segredo para ninguém que acompanha o blog ou simplesmente faz parte do meu círculo social que 2016 para mim foi um ano de adaptações, dedicação e ralação. Último ano do ensino médio, o primeiro fazendo vestibular e Enem pra valer. Isso me tomou todo o tempo do planeta e um pouquinho mais. 

Meu colégio não era um desses em que a gente tem 14 aulas por dia. Por outro lado, ao fim de uma semana, tinha um saldo (em média) de 25 novos conteúdos para estudar e cerca de 400 exercícios a serem resolvidos sobre. 3 anos de matéria em cerca de 8 meses. Exaustivo, com toda a certeza. 

O meu maior desafio dificilmente eram as matérias e os conteúdos em si. Geralmente, questão de organização, tempo e o próprio cansaço. Com o passar do tempo, fui aprendendo com meus próprios erros e acertos o que me ajudou e o que me atrapalhou, e nada mais justo do que dividir com as outras pessoas. Não necessariamente o que funcionou comigo vai funcionar com você, mas não necessariamente não funcionará. 

1 - Resumos, mapas mentais, esquemas.


Isso é um clássico, não? Resumir a matéria. Comigo realmente ajuda. Escrever auxilia muito na fixação da matéria, consigo selecionar e destacar o que tenho mais dificuldade, fazer apontamentos sobre o que é mais relevante sobre determinado conteúdo, lembretes, macetes dados em aula. Não é uma fórmula mágica, não é "escrevi, tá na minha cabeça". Mas te ajuda a pescar na memória quando é necessário, além de ser infinitamente útil na hora de revisar. Não vou te dizer como fazer um resumo, porque aí é de cada um. Mas me foi bem útil. 

2 - Post-its


Algumas colegas do colégio me chamavam de "a louca dos post-its", e essa é uma identidade que eu absolutamente assumo. Os post-its me ajudaram muito em termos de organização, que é algo fundamental na hora de estudar. Uma informação que merece destaque, algo que o professor diz que é interessante aprofundar em casa, um exercício que cai com frequência e merece uma atenção especial... O uso é infinito. No meu colégio, além disso tudo, temos aula em um auditório, e por conta do tamanho do lugar, fazemos perguntas aos professores enviando post-its. Além de serem bonitinhos. Recomendo o mais colorido possível, afinal a ideia é dar destaque ao que é importante. 

3 - Aprovado App


Esse é um aplicativo que eu passei o ano recomendando para todo mundo que conversava comigo sobre estudo. O aplicativo é uma mão na roda quando se fala de organização. Não me ajudou a disciplinar o tempo dedicado a cada disciplina, X horas pra cada matéria (inclusive porque não acredito nisso, comigo funciona assim: estuda o tempo que precisar pra cada matéria), mas me ajudou a ver a que matéria estava me dedicando pouco, com o que estava gastando  meu tempo, coisas assim. Além disso, ao longo do ano ele me dava um certo conforto. Todo concursando, vez ou outra, tem aquela sensação de não estar estudando suficiente. Ele esfrega na minha cara quantas horas da minha vida eu gastei me dedicando aos estudos (o que de vez em quando também era um puxão de orelha). 

4 - "Lecionar"


Isso é uma dica clássica também: ensinar a matéria. Como quem treina para apresentar um trabalho de escola, sabe? Você revê o conteúdo ao explicar, percebe que parte da matéria tem dificuldade de lembrar, e ao repetir em voz alta o que sabe, fixa tudo ainda mais. Eu sempre me disponho a ajudar os colegas de sala e amigos (mesmo os distantes!) com os estudos, saiba eu a matéria ou não. Dar aula mesmo, nunca dei aula pra ninguém. Mas não precisa ser para alguém mesmo não. Tem gente que ensina os bichos de pelúcia ou as almofadas do sofá. Tem gente que diz a matéria todinha pra mãe - mesmo sabendo que a pobre não tá nem ouvindo. Eu particularmente crio muitos diálogos aleatórios durante o banho, e dou um jeito de enfiar a matéria neles, dou aula para os frascos de xampu. Funciona.

5 - Materiais paradidáticos


Sim, acabei de chamar a Netflix de material paradidático. Quem nunca ficou de saco cheio de estar com a cara nos livros? Ou nem conseguia mais absorver a matéria, de tão saturado que já estava? Pois é, existe sim um jeitinho de continuar aprendendo quando isso acontece, e sem enlouquecer. Quantos filmes, livros e documentários existem sobre o que a gente estuda em sala de aula? "Ah, mas aí só tem pra história e geografia..." GENTE, pelo amor de deus, se física, química, biologia e todas as outras matérias não tivessem qualquer existência/aplicação no mundo real, tu acha mesmo que continuaria sendo estudado? Sim, galera, V = vo + a . t existe no mundo real. E quando a gente percebe isso, tudo fica um bocado mais interessante. 

Olha, como eu disse lá em cima, não existe fórmula mágica e pode ser que nenhuma dessas coisas te ajude em nada. Mas eu espero que pelo menos tenha te ajudado a perceber que não é impossível sobreviver. A gente aprende com tudo. Se adapta com tudo. Não adianta só ir pra aula, engolir a matéria e fim de papo. Tem que saber qual é o motivo daquilo tudo, pra quê que serve, onde que existe de verdade. Quando isso acontecer, além de estar verdadeiramente estudando e aprendendo, tenho certeza de que vai estar adorando. 

Postado Por: Bárbara Andrade

Posts relacionados

0 comentários