#30DAYSBLOG: aleatorize onze vezes

00:31


Por meio de uma seleção totalmente randômica, escolhi alguns números na lista do Desafio #30DaysBlog e decidi, com eles, tentar me dedicar um tantinho mais ao CDG. Estou sim me apropriando das ideias da Ana, mas com a permissão dela - tanto para manter o blog ativo, quanto em nome da minha sanidade mental.

O primeiro número aleatório foi o 11. Esse desafio me pede para abrir minha playlist e, no modo aleatório, falar sobre as primeiras 11 músicas selecionadas pelo random. Não vou mentir: normalmente eu simplesmente passaria as músicas para ver os nomes e escreveria aqui (talvez até trocasse alguma que fosse complicada de escrever sobre...). Eu faço isso às vezes. Pulo etapas. Mas aqui, no meu cantinho de paz e de amor, não tive esse feio impulso. Ouvi cada música, senti, refleti, deixei que elas surtissem seu efeito sobre mim e, enfim, escrevi. Então, vamos?


1 - City Of Stars - La La Land Movie


Eu e City Of Stars não temos uma senhora história. Desde 2015 (ou 14?) eu procuro assistir o máximo dos indicados pela Academy para melhor filme e, então, a premiação do Oscar. Me preparando para a última cerimônia, o primeiro filme que assisti foi La La Land, por várias razões. As duas principais: o número de indicações e encontrei mais fácil que os outros (e olha que assisti sem legenda, porque não consegui encontrar com).

Não vou entrar no mérito dos indicados e dos vencedores, não sou nenhuma crítica e esse não é o objetivo do post. Mas, City Of Stars, vencedora da categoria Melhor Canção Original, me ganhou o coração no momento em que a ouvi. Tudo bem se você não gosta. Eu gosto. A melodia me traz uma paz bem querida, e a canção na voz do Ryan me dá um aconchegozinho bom.

2 - Viva - Zimbra


Aqui a coisa fica um tanto mais intensa! Meu grande ídolo e amigo João Pedro foi quem, por meio de uma playlist dele, me apresentou Zimbra. E foi com essa mesma música. Essa que já apareceu em telefonemas musicais entre nós dois, covers da banda dele, em áudios do Whatsapp e em cada vez mexe comigo. Não sei de onde vem esse sentimento, essa sensação, mas Viva me causa arrepios e faz com que uma força maior que minhas vontades me faça cantá-la com tudo. É uma delicinha, ela.


3 - How Far I'll Go - Alessia Cara/Auli'li Cravalho

Ah, Moana! Eu confesso que sou apaixonadinha por esse filme. Eu sou muito (é muito mesmo, galera) Disney Girl. Eu amo cada filme, lembro de cada personagem e assisto cada lançamento. Moana conquistou meu coração de primeira, e How Far I'll  Go me deixa com vontade de levantar e lutar por mim e pelo que acredito que devo fazer. Tanto a versão original, quanto a dublada, me encantam!


4 - Let her go - passanger


Tu quer uma coisa mais gostosinha que essa música? A melodia, a voz e a letra levam meu espiritozinho pra um lugar full of calmaria. De maneira geral, eu escuto de muita gente que essa canção traz muita reflexão sobre valorizar as coisas, as pessoas e a vida de maneira geral. Mas o que me cativa é ali, no finalzinho do refrão, quando é dito: você só sabe que a ama quando a deixa ir. E você a deixa ir. Sabe, perceber que você ama uma pessoa só depois que deixa ela sair da sua vida, e ainda assim deixar ela ir, é uma para super profunda. Sei lá. Fico #Reflitão


5 - Suma Daqui - Plutão Já Foi Planeta


Ei, sem condições. A pessoa escutar Plutão é ser automaticamente transportada pra casa, pra uma tarde quente e cheia de nadas pra fazer, gastando o tempo no quarto de Tuane com ela e Ana.


6 - Breath (2AM) - Anna Nalick


Aqui vale a confissão da minha paixão por Grey's Anatomy. Essa música é tocada em alguns episódios e é cantada pela Lexie no ep. musical. O nome da playlist, pra quem não pegou a referência, também é sobre G.A.; Breath é do tipo que a gente canta com todo o fôlego que tem no peito, e se bobear repete.


7 - Fluorescent Adolescent - Arctic Monkeys


Essa música me transporta diretamente pro começo da minha adolescência. Eu conheci AM por volta de 2011/12, e era super apaixonadinha. Essa era minha preferida, e toda vez que toda eu lembro desse tempinho bizarro, quando eu tinha lá meus 12 anos e me sentia A adolescente. Lembro com saudosismo, sim, mas não muito. 15 anos >>> 12 anos

8 - Chacarera da Saudade - Esteban Tavares


Não vou dizer mais nada.


9 - Same Mistake - James Blunt


Essa música pra mim é simplesmente pioneira do meu gosto pelas internacionais. Obrigada novela da rede globo que eu não lembro o nome por inserir essa coisinha dengosa na soundtrack e fazer com que a (ainda mais) pequenina Bárbara Andrade tivesse o interesse pelo inglês ativado.


10 - João de Barro - Leando Léo


ESSA MÚSICA É MUITO PRECIOSINHA E GOSTOSINHA DE CANTAR. Ponto.


11 - As Terças Podem Se Inverter - Esteban Tavares


Caso ainda não tenha notado, Tavares reina na minha playlist. Me sinto muito representada pelas músicas dele, muito mesmo. Ouvir Esteban é quase receber um tapinha nas costas com gostinho de "te entendo". Além disso, esse cara é o cantor preferido de uma amiga muito mais que querida, de quem tenho saudades imensuráveis. Toda vez que no aleatório toca Esteban, o nome dela vem na minha cabeça e, mesmo com toda a melancolia, um sorrisinho sai involuntariamente. Essa música é uma puta poesia, e dá pra fazer uma reflexão profunda sobre o funcionamento das relações modernas. E, de fato, as terças hão de se inverter, meu bem.




Postado por: Bárbara Andrade

Posts relacionados

0 comentários