#textodoleitor sobre terminar o Ensino Médio e prestar ENEM no mesmo ano

22:05

Imagem de book, study, and reading

~ PRIMEIRAMENTE ~
Como deve ter ficado bem claro, o blog fez uma pausa nos últimos meses. Isso se deve ao fato de nós três estamos (loucas) estudando para o ENEM. Depois de novembro, provavelmente voltaremos a postar normalmente. Espero que este ano não tenha consumido completamente minha criatividade e sanidade mental rs pois estou com muita saudade daqui. 

~SEGUNDAMENTE~
Essa palavra deveria existir, porque é muito legal. 
Débora, assim como eu e as meninas, está passando por esse processo de vestibular, com um pequeno agravante: o IFRN. Eu e Tuane entendemos bem como é isso, pois estudamos na mesma instituição, mas confesso que nos falta forças até para escrever sobre o assunto. Mas Débora produziu um texto bem legal e nos procurou para postar, a fim de ter um alcance maior, porque ela realmente quer ajudar as pessoas com essa mensagem. E, olha, preciso dizer: me identifiquei bastante com ela. 

Sobre terminar o Ensino Médio e prestar ENEM no mesmo ano: relato de uma experiência própria.

Para começar, hoje, neste momento, eu tenho plena certeza e convicção de que tomei a decisão errada. Qual decisão? De cursar meu último ano de Ensino Médio (com técnico) e estudar para o Enem ao mesmo tempo. Isso é algo que não recomendo, pelo contrário, apoio as pessoas a não fazerem dessa forma. Acredito que para um bom entendimento do que estou tentando passar, é importante que se conheça um pouco de como é essa rotina: Acordar cedo para ter aula das 7h às 12h, ir almoçar e já partir para o Cursinho para ter aula das 14 às 18:30 ou 19:20, ir para casa e estudar das 20h à meia noite (o que não é um tempo bom, já que quem se prepara para o Exame precisa de 8h por dia de estudo em casa. E o que também não é certo, pois não me permite dormir o tempo necessário e que o meu cérebro realmente precisa para descansar bem e fixar os conteúdos de forma totalmente eficiente). Além disso, visto que não tenho o mesmo tempo disponível das outras pessoas que estão se preparando, preciso manter uma rotina de estudo disciplinada no final de semana - precisei abrir mão de muitas coisas que fazia parte - grupos, projetos (tanto na igreja quanto na escola), "vida social", tempo de qualidade com as pessoas que amo, inclusive só posso ver meu namorado 1 vez por semana. Tentei continuar a frequentar a academia por questão de saúde e até consegui por um ou dois meses, mas se eu fosse, ficava ainda mais cansada, esgotada e não conseguia estudar, ficando automaticamente culpada e psicologicamente mal. Não há tempo para fazer nada além disso. Falando por mim, até quando precisava faltar alguma aula para ir AO MÉDICO, a culpa se infiltrava em minha mente. 

Outro ponto é que o último ano do ensino médio + técnico puxa muito de mim e precisa do meu tempo para executar bem as tarefas e trabalhos, e Ainda, ter motivação para mais uma vez acordar muito cedo e assistir à todas as aulas com qualidade. Preocupar-se com estágio e conclusão de curso entra na lista também. 

Não é falta de organização, de rotina, de disciplina ou simplesmente vontade de reclamar, é que quem passa sabe o quanto é pesado e puxado conciliar tudo isso, e pessoas com 17/18 anos, o período em que se está entrando na fase adulta, assumindo responsabilidades e tomando decisões que só você pode tomar, as quais vão decidir seu futuro e ter impacto a longo prazo! 

Isso é bom, estudar é bom, adquirir conhecimento é a melhor coisa, entrar no curso dos sonhos é maravilhoso, mas a questão aqui é quando você chega à pergunta: está valendo a pena? Todo esse sofrimento e pressão envolvidas vão valer no final? O que trará de proveito pra mim? Se o motivo for simplesmente porque a sociedade ou teus pais te obrigam a ser produtivo, não. Se for porque você acha que só vai ser "alguém de futuro" se entrar na universidade na primeira tentativa, não. Se for porque você se sente estúpido ou idiota se não conseguir a pontuação mais alta nos simulados e no Exame, não mesmo! 

Você precisa fazer por você, pelo seu sonho, por se sentir bem dessa forma. Precisa alcançar seus objetivos sem cobranças e pressões DESUMANAS, porque não, não é frescura. 

Nessa situação, se você já tem algum transtorno, ele piora. Se você não tem, há grande chance de obter (há estudos sobre isso). A mente se torna uma confusão entre fazer ou não fazer, você chora e se tortura por achar que está fazendo tempestade em copo d'água, porque tem pessoas que fazem bem mais e não reclamam - mas ninguém sabe o que elas passam. 

Tive que me medicar para acalmar a enxaqueca e a ansiedade, além de não conseguir não-me-sentir culpada por adormecer, e então, enchia-me de café, refrigerante, energético e pesquisas sobre o que tomar para me manter acordada e ativa por muito tempo.

Quantas vezes já perguntaram se eu estava bem e não estando, eu respondia que sim, por achar "besteira". Quantas vezes dando gargalhadas, internamente tinha somente choro e tristeza?! Apoiando e aconselhando as pessoas ao meu redor que também passam por isso, eu estava primeiramente me ajudando.

Quantas vezes não me achei digna e no direito de sair e desopilar porque não cumpri a meta de estudos do dia por meu cérebro estar cansado demais! Houve vezes em que eu pedia para estar doente, para não ter que passar por isso, mas com uma justificativa plausível (e olhe lá).

Ha mais: os constantes simulados - que sim, são muito importantes - e aulas no final de semana, muitas vezes o dia inteiro, até à noite, exaustivamente. Não, ninguém me obrigou a isso, mas é exatamente o que estou dizendo: se você está lutando e perseverando simplesmente por ser escravo desse sistema, não o faça, por favor. Os níveis de estresse crescerão a casa dia, a ansiedade aumentará mais, até você não conseguir se relacionar nem consigo mesmo. Sim, isso afeta tudo e todos ao seu redor. 

Algo que me ajudou muito foi ter apoio e dar apoio aos meus amigos em igual situação, pois de fato, apenas quem vive é capaz de entender. Quantas vezes me senti acabada por ver tantos jovens chorando pelos corredores e se cobrando de uma forma inacreditável, além de todos os problemas que já enfrentam. 

Se você tomou essa decisão, continue, porque não há como voltar no tempo, continue porque tenho certeza que és forte e independente do resultado, o conhecimento que adquiriu vai ser de muito proveito, nada perdido. Só peço: chegue naquela sala com o pensamento de que deu seu melhor, dentro das suas condições, e não será jamais uma decepção se não atingir o que queria. Você tem sua vida toda! Dê valor ao seu Ensino Médio e aproveite tudo que ele pode te proporcionar. Não corra o risco de sentir desgosto por toda sua vida de não ter agarrado aquela oportunidade única e aproveitado esse tempo tão bom. Respeite cada fase, cada tempo, dê a devida importância a o que você faz e complete um ciclo com qualidade para poder começar outro. Tudo bem não conseguir abraçar o mundo com as pernas. 

MUITO IMPORTANTE: não se compare a ninguém, cada um tem seu tempo, seu jeito, suas habilidades, sua inteligência, sua forma de aprender, suas debilidades e fraquezas e ninguém, ninguém pode julgar o outro, sua dor ou suas dificuldades. 

Se você ainda não tomou, pense bem, analise e veja o que isso te causará. 

Independente de qualquer coisa, se você não passar da primeira vez, não é menor ou pior que ninguém. 

Claro, nem todos irão concordar ou se encaixar na situação.

Você é você e será bem sucedido do seu jeito. Ame-se!



Postado por: Ana Letícia  

Posts relacionados

0 comentários