O perigo de "camuflar a verdade" nas redes sociais

20:52


Postado por Ana Letícia


~ meu SHIFT tá quebrado, não julguem as falhas de acentuação ~

Meu primeiro contato com Camilla Uckers ocorreu há algum tempo, mas notícias sobre ela voltaram a circular o meu meio de interesses recentemente. Acompanhei a YouTuber postar todo o cotidiano do pós-operatório da colocação de próteses de bumbum, modelagem de nariz (o procedimento que todo mundo que fica rico, faz) e uma lipoaspiração através do Instagram. Memes de fotos suas viralizaram na internet e ela até fez graça com isso, porque parecia um zumbi ou entidade de filme de terror. O perfil no estava lotado de comentários questionando a situação de Camilla, já que ela estava com muitos hematomas e bem debilitada. Mas ela sempre defendia o médico, até que a verdade apareceu.

O médico lhe deu as cirurgias de graça, em troca de divulgação. Camilla deveria apenas manter silêncios sobre o contrato. Pelo que eu soube, recentemente ela desabafou tudo isso porque está passando por muitas complicações. Basta uma busca rápida no Instagram para encontrar as imagens chocantes da sua situação, além de um vídeo bem triste da garota de 24 anos chorando por não saber se voltaria a andar. Ela está acusando o médico de ter cometido um erro e a internet está acusando Camilla de ter mentido para seus seguidores, porque ela agiu o tempo inteiro como se estivesse sendo completamente sincera, porém, escondeu uma das partes mais importantes. 

Outro caso recente é o da Boca Rosa, a blogueira que escondeu uma lipoaspiração e, quando revelada, sorriu cinicamente para a câmera e soltou um "é mentirinha". Soube que ela fez a cirurgia apenas em uma área específica do abdômen e que isso não desmerecia o esforço dela, mas muitas de suas inúmeras seguidoras se sentiram enganadas. E eu não as culpo.

Essa blogueira tem o corpo padrão-mulher-gostosa e, ao passar por esse processo (raio kim kardashiantizador, segundo os meninos do Diva Depressão), tornou-se uma espécie de símbolo de estilo de vida saudável e "meta" para muitas jovens. O que a gente não percebe é que essas personalidades da mídia não passam por processos de emagrecimento como eu ou você passamos. Elas têm personal fitness, recebem produtos de lojas, usam as famosas cintas modeladoras e fazem acompanhamento rigoroso com nutricionistas. Eu até vou a nutricionista (plano de saúde está aí para ser usado) e poderia pagar para frequentar a academia no final da rua, mas meus resultados certamente seriam totalmente diferentes.

Essas duas polemicas recentes me fizeram questionar quantas pessoas na mídia exibem seus corpos e vidas ideias para esconder mentiras e sofrimento atrás das câmeras. Não quero apontar o dedo para a Boca Rosa nem para a Camilla, porque acredito que a primeira merece seu crédito pelo esforço e a segunda, tadinha, está passando por uma situação que eu não desejaria a ninguém no mundo inteiro. Mas eu gostaria de levantar a reflexão sobre as aparências que a gente vê na internet. Quanto disso é real e qual custo essas pessoas pagam para terem o que tem?

Penso em todos os jovens que veem esses influenciadores digitais e tentam se espelhar neles, mas são enganados por perspectivas que nem mesmo são reais. Defendo a ideia de que se você é uma figura pública, você tem que ser sincero com os seus seguidores. Não é preciso se expor, apenas ser sincero. Fez aquilo por publicidade? Informe. Ficou magra com cirurgia? Que ótimo, compartilhe. Não finja para as pessoas que aquilo é alcançável para qualquer um, porque isso mexe com o psicológico de muita gente.

Não acreditem em tudo o que veem na mídia. Não tentem imitar blogueira X ou youtuber Y, porque os meios que eles possuem para conseguir as coisas são bem diferentes. Existe algo em nosso mundo chamado publicidade que, com seus lados positivos e negativos, acaba por, muitas vezes, fazer com que nós acreditemos em sonhos que não nos pertencem e não são reais. A internet está quase inteiramente apoiada sobre ela.

Para finalizar, quero enfatizar que plásticas não são procedimentos negativos. Elas podem ser muito benéficas se forem algo para te fazer FELIZ e caso feitas com segurança. Não há nada de errado nisso, desde que não te faça mal. Além disso, monetizar seu conteúdo também não é ruim. Eu, por exemplo, adoraria ganhar dinheiro com esse blog haha. O que há de errado nisso tudo é a falta de honestidade com os seguidores e esse marketing perverso camuflado de vida real (ouviram, Kardashians?).

E BORA SE AMAR MAIS, NADA DE FICAR SE COMPARANDO OU DESEJANDO A VIDA OU O CORPO DOS OUTROS, OKAY? Deixe a grama do vizinho para lá e cultive seu próprio jardim.

Posts relacionados

2 comentários