Era uma vez um pôr do sol

12:35

Photo by Cole Hutson on Unsplash

O projeto Era Uma Vez reúne histórias de amor de qualquer intensidade e de qualquer formato. Conheça mais sobre o projeto neste post, e nos envie sua história de amor através do email: cacadoradegalaxias@hotmail.com

Não sei se você está aí ainda, não sei se vai ler, porém sinto que preciso te dizer.

Tudo começou em um domingo. Eu com um amigo saímos para beber no bosque da nossa cidade, estávamos esperando um outro menino pois ele estava com as bebidas, demorou um tempo porém ele chegou. Nos afastamos da entrada e começamos a caminhar quando avistamos quatro meninos, três deles eu conhecia, pois eram meus colegas, cumprimentei normalmente. Porém quando chegou no quarto menino desconhecido eu apenas sorri e ele sorriu de volta, continuamos a andar quando um deles gritou “Podemos beber com vocês?” deixamos, então dois deles foram buscar mais bebidas e dois vieram conosco. 

Minutos depois chegaram os outros com mais três pessoas, fomos a trilha e sentamos em círculo e começamos a beber e conversar, então meu amigo sugeriu nos brincarmos de jogo da garrafa, aceitamos. Girei a primeira vez e logo caiu no desconhecido. Peguei e disse “Você não é obrigado se não quiser” ele disse “mas quem disse que eu não quero?” Então levantamos e nos beijamos. Senti uma forte energia envolvida em nosso beijo e foi como se já tivéssemos uma ligação, acabamos e voltando para roda, ficamos encantando um o outro, era como se ele tivesse sentindo o que senti. O pessoal continuou jogando normalmente, quando meu amigo girou caiu no desconhecido, ele me encarou meio sem graça e recusou o beijo do meu amigo, fiquei muito feliz por dentro, porém agi normalmente. 

Já estava escurecendo, todos estávamos bêbados e nem percebemos que já havia fechado o bosque e tivemos que pular o muro. Era muito alto então o desconhecido chegou perto de mim e disse “quer ajuda?” Não recusei né, não iria conseguir pular mesmo. Ele me ajudou e pulou logo em seguida deixando nossos amigos para trás, então segurei a mão dele e logo em seguida ele segurou mais forte, então seguimos de mãos dadas, todo mundo percebeu que ali tinha rolado um clima. Fomos para uma ponte em cima da pista, chegando lá nos afastamos e sentamos do outro lado, encostei minha cabeça na dele e perguntei seu nome, ele respondeu “Me chamo Gabriel, prazer e qual é o seu nome?” respondi dizendo “meu nome é Pedro, o prazer é meu” ficamos observando a lua naquela noite e nos conhecemos. 

Era tarde então todos resolveram ir embora para casa, então perguntei onde ele morava, ele respondeu e eu fiquei surpreso pois era no mesmo bairro que o meu e eu nunca tinha visto ele, nossos amigos foram para um lado e nos seguimos para o outro de mãos dadas. Passamos pela casa dele e ele disse que iria me levar até minha casa, então ele me acompanhou, chegou em frente ao meu portão nos despedimos e eu entrei, e logo fui dormir. Acordei com uma mensagem dele no messenger “Bom dia, que você tenha um excelente dia” respondi e começamos a conversar pela rede social, ele logo disse que quando sair do emprego as 17:00 gostaria de ir ver o pôr do sol comigo, aceitei na hora pois eu amava o por do sol.  Fomos e ficamos sentados abraçados vendo o sol se pondo, perguntei se ele também tinha sentindo algo no beijo e logo ele disse “senti uma ligação enorme com você, era como se nos tivéssemos ligados” me emocionei e disse que eu também tinha sentindo o mesmo. 

Naquele noite perante o céu estrelado apontei a minha estrela da sorte (que por coincidência era a dele também) e disse para ele fazer um pedido, ele disse “tudo que eu quero esta do meu lado”. Foi amor à primeira vista da minha parte e da dele. Fomos para casa e saímos a semana toda, o mês todo, tínhamos muita coisa em comum e as mesmas vibes, eu sabia que era ele!!!! Porém ele acabou se suicidando deixando uma carta escrito “conheci a felicidade nos seus olhos castanhos, conheci o amor no seu beijo, eu te amo para sempre”. 

Foi o dia mais marcante da minha vida e hoje faz 2 anos de sua morte, ainda sinto a falta dele e não sei o motivo de sua morte, muitos dizem que a família não aceitava, mas eu sempre soube que naquele coração existia dor, pois não foi o amor que nos uniu, foi a dor.

Anônimo, obrigada por compartilhar seu amor conosco, nós sentimos muito pela sua perda :c 

Posts relacionados

0 comentários