Resenha: Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

12:25

Como esquecer o inesquecível? - "Brilho Eterno de Uma Mente Sem

Antes de começar a falar sobre o filme, preciso comentar que venho atualizando posts antigos, para ver se as imagens ainda funcionam e essas coisas, e rio bastante do que eu e as meninas escrevemos uns anos atrás. As resenhas que nós costumávamos fazer eram muito mais propagandas do que a gente gostava, e às vezes indicávamos um filme sem nem ter visto haha Eu me sinto feliz por manter esse hábito de blogar desde 2012 e poder observar como eu, Bárbara e Tuane crescemos durante a adolescência. Tem sido gostoso revisitar essas memórias. Acho que vou acabar escrevendo um pouco sobre essas redescobertas em breve.
-----------------------------------------------------------------

Brilho eterno de uma mente sem lembranças é um filme que adiei bastante assistir porque, de alguma maneira, sempre pensei que me deixaria abalada. De fato, é uma história triste. A sinopse é literalmente um casal que terminou e tenta apagar um ao outro da mente. Porém, de certa forma, o final aconchega e faz todo sentido. Queria não ter deixado esse título esperando por tanto tempo na Minha Lista da Netflix.

No início, eu tinha certeza de que o filme era superestimado. Provavelmente é, mas ainda sim, ele justifica sua fama. Comecei tirando um bocado de conclusões sobre os protagonistas: ela, maluca, ele, chato demais. Ao final, percebi que os dois são ferrados, cheios de defeitos e qualidades, sendo opostos em diversos aspectos. Isso me fez sentir uma empatia enorme por ambos. Afinal, somos todos assim: certos e errados. Um personagem unicamente legal ou simplesmente ruim não cativa tanto quanto alguém tentando acertar e cometendo contínuos erros. Alguém que te faz querer socar e abraçar a tela soa muito mais real. 

A história é triste, afinal. Eu não sei se pelo relacionamento deles ter tido muitos momentos bons ou muitos momentos ruins. Quando a gente termina, a tendência é se apegar a algum desses tipos, mas na maioria das vezes uma relação é construída em certa harmonia pelos dois. Até que as diferenças pesam demais e a sintonia se quebra. Eu provavelmente teria uma percepção muito diferente dessa história uns anos atrás, antes de ter vivido e, principalmente, superado romances. Agora, como já disse em outro post, eu sei que não adianta querer apagar as memórias porque o que há de ruim fica para trás e o bom não há problema em guardar. 

O final do filme me surpreendeu bastante. Não tenho muito como comentar sem dar spoiler, por isso vou resumir com um singelo: gostei :p Agora, partindo para comentários que podem entregar o fim da história… a maneira como terminou me lembrou demais a música O Velho e o Moço de Los Hermanos (gosto bastante), porque é como se eles tivessem realmente a possibilidade de prever tudo o que vai dar errado entre os dois. O que acontece depois não é claro, mas eu gosto de pensar que eles discutiram sobre isso, ouviram novamente suas fitas e tentaram consertar os erros antes que acontecessem. Falharam nisso, é claro, e tentaram desistir. E, então, cometeram erros novos. Gosto de pensar que eles continuaram juntos e deram certo ao mesmo tempo em que deram muito errado. Uma perspectiva bem realista do amor, eu diria - assim posso resumir o filme.

Publicado por Ana Letícia Dantas

Posts relacionados

0 comentários