Newsletter e arquitetura pós-moderna: leituras de fevereiro [2021]

20:01


Eu não terminei nenhum livro em fevereiro. O mês mais aguardado do ano inicia com meu aniversário (01/02), o qual eu já tive esperanças de passar em circunstâncias diferentes, mas hoje penso que meus 22 anos não serão os últimos a comemorar em quarentena. Foi um dia bem triste, para ser sincera, em uma semana em que me senti mal quase todos os dias. A maior parte de fevereiro foi assim. Não dispus de força mental para encarar nenhuma leitura além de newsletterw e os próprios artigos da faculdade. Sempre que pensava em abrir um livro, minha mente agitada bloqueava esse impulso e eu procurava outro tipo de entretenimento mais estimulante. Uma das implicações de estar em estado de ansiedade constante é estar sempre agitada demais para manter o foco. 

Janeiro foi um mês bem mais tranquilo. Comecei o estágio novo e o semestre na faculdade, mas sem grandes cobranças (ainda). Nos finais de semana eu colocava a máscara e encontrava meus amigos na praia, com distanciamento social e muito álcool em gel envolvidos. Eu tinha tempo para correr, andar de bicicleta e vinha dormindo melhor, algo que tem sido bem difícil para mim na pandemia. As notícias sobre a vacina circulavam todos os dias e me davam esperança de um ano melhor. 

Em fevereiro, o sistema de saúde público e privado da minha cidade colapsou. Não que seja surpresa: parte da população viveu eleições, ano novo e carnaval como se não houvesse mais perigo. O governo federal e municipal se mostram cada vez mais ineficientes no combate à pandemia, uma nova cepa do vírus foi anunciada e a vacinação caminha a passos muito lentos. Voltei a concentrar todas as minhas atividades em casa, com a cabeça lotada de cobranças e sem conseguir conciliar minha vida pessoal com as demandas do trabalho e da faculdade.

O único livro que me acompanhou esse mês foi Torto Arado, presente do meu melhor amigo, Andrey. É uma leitura sensacional, mas não terminei ainda, portanto, deixarei para comentar em outro post. Também li artigos sobre arquitetura pós-moderna, processo projetual e planejamento urbano, mas tudo meio aos tropeços, para dar tempo de absorver pelo menos parte do conteúdo antes das aulas. Há tempos acompanho alguns blogs, como o Desancorando, mas passei a acompanhar alguns novos: No Recreio e Aline Valek. De newsletter, as minhas preferidas tem sido as do No Recreio, mas também comecei a acompanhar a Obvious Agency. Ou seja, o volume de leitura no geral não foi tão baixo.

Já vivemos a primeira semana de março. Estou tentando encontrar minha rotina aos poucos. Tentando colocar limites nos horários de trabalho e estudo, retomar uma rotina de exercícios focando em consistência e não em performance, ler um pouquinho todos os dias e ajustar meus horários de sono. A situação da pandemia NÃO está boa, a situação política do país só piora e o combo home office + ensino remoto tem me desgastado demais, porém eu sei que preciso fazer o mínimo por mim mesma para não sucumbir em meio a esse caos. Por isso, espero que meu resumo pessoal/de leitura do mês de março seja mais empolgante, ainda que num cenário nebuloso.

Postado por Ana Letícia Dantas

Posts relacionados

0 comentários